O deputado federal Julian Lemos, do PSL, elogiou o segundo pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) veiculado em rede nacional, na noite de ontem, apesar de considerar que faltou uma mea culpa do gestor com relação ao primeiro discurso.

Segundo o parlamentar, menos de 24h após as declarações, Bolsonaro, no entanto, faz postagens nas redes sociais que corroboram justamente para o primeiro discurso em que defende o fim do isolamento e a volta à normalidade.

“Com relação ao discurso dele ontem, claro que mudou o tom. Isso aí foi a olhos vistos. Falou como um estadista, porém silenciou em relação ao seu outro discurso. Poderia, logicamente – toda ausência é atrevida – mas estou falando aqui que ele poderia dizer que estava revendo os conceitos com base nas informações que tinha, acho que seria melhor. Ele falou aquilo que deveria ter falado, com algumas omissões, poderia fazer a mea culpa sobre as declarações passadas. Isso de certo modo ainda me incomodou. Mas ele falou dos cuidados, da economia e das vidas e fez referência ao discurso do presidente da OMS sobre os cuidados com aquelas pessoas mais vulneráveis, então falou para o Brasil e veja que o tom foi elogiado e eu vou elogiar, mas que hoje de manhã o presidente já tuitou fortalecendo o primeiro discurso. Essa instabilidade me deixa muito desconfortável”, lamentou.

Para Julian, no entanto, o protagonismo da crise está nas mãos do ministro Mandetta, pela postura, conhecimento e preocupação com que tem lidado com o avanço da pandemia.

“Mandetta está dando um baile em prudência, política, conhecimento, preocupação. Tem falado como um líder e com a responsabilidade que o cargo exige. O presidente melhorou no discurso e já mudou no twitter. Você que é bolsonariano, eu que sou comprometido com os destinos do país tenho que ter essa responsabilidade. Mandetta está correto e na dosimetria correta”, arrematou.

ENTENDA

Presidente postou no Twitter vídeo que supostamente mostrava a Ceasa vazia, mas a reportagem nacional filmou, nesta manhã, muitos caminhões de alimentos, que vão chegar às mesas dos moradores da Grande BH, sendo descarregados normalmente no entreposto.

No texto, Bolsonaro diz que “não é um desentendimento entre o presidente e alguns governadores e prefeitos”, e que “são fatos e realidades que devem ser mostrados”.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Câmeras irão monitorar distanciamento social e uso de máscaras, em Campina

Um sistema, baseado em inteligência artificial, por meio de um software de inteligência artificial (IA) instalado nas câmeras de vigilância da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP), vai monitorar…

Vídeo: em pronunciamento polêmico, filho do presidente diz que haverá “ruptura institucional” no Brasil

Em live intitulada Nunca deixe um ditador calar a sua voz e organizada pelo blogueiro Allan dos Santos — que foi um dos alvos da operação contra fake news —,…