Os brasileiros voltaram as urnas neste domingo (28), e além de eleger Jair Bolsonaro (PSL), como novo presidente da Replica, também elegeram diversos governadores no segundo turno.

Em minas Gerais – O advogado Ibaneis Rocha será o novo governador do Distrito Federal. Ele venceu a disputa do segundo turno com 70,45% dos votos válidos. O atual governador Rodrigo Rollemberg (PSB), que tentou a reeleição, ficou com 29,55% dos votos válidos.

Até agora foram apurados 80,99% das urnas. Os votos brancos somam 3,45% e os nulos, 8,05%. A abstenção está em 18,95%.

Ibaneis Rocha Barros Junior tem 47 anos e foi presidente da seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entre 2013 e 2015. Atualmente, ele é membro do Conselho Federal da OAB-DF. O vice-governador será o empresário conhecido como Paco Britto (Avante).

Estreante em cargos eletivos, Ibaneis apresentou rápido crescimento nas pesquisas de intenção de voto no primeiro turno, subindo de quinto colocado, em meados de setembro, para a primeira posição de forma isolada. Ele afirma que entrou na política este ano para ajudar a resolver os problemas que os políticos tradicionais não conseguiram solucionar.

 

Em São Paulo, João Dória do PSDB, foi eleito com 51% dos votos contra 48% de de Márcio França, 

Em dois anos acelerados, o empresário João Doria virou prefeito da maior capital do país, tentou ser candidato a presidente e renunciou à prefeitura para disputar a vaga de governador paulista.
Ao vencer, se firma como o principal herdeiro do espólio de um PSDB arrasado.
Para chegar onde está, Doria atropelou inimigos e até aliados, o que incluiu seu padrinho político, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB). Vitorioso, trabalhará para assumir o controle do partido, isolando Alckmin e outros velhos caciques.
Ao longo da campanha para o governo, Doria se descolou de Alckmin e tentou colar sua imagem à de Jair Bolsonaro (PSL).
No primeiro turno, veladamente; e depois, no segundo, passou a andar por aí vestido com a camisa Bolsodoria, a junção dos nomes dos dois candidatos.

Rio de Janeiro –  ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC) foi eleito hoje (28) governador do Rio de Janeiro. Com 87,24% das urnas apuradas, Witzel está eleito com 60,68% dos votos válidos. Eduardo Paes (DEM) ficou em segundo lugar, com 39,32%.

Em sua primeira eleição para um cargo público, Witzel passou boa parte do primeiro turno com menos de 5% das intenções de voto nas pesquisas eleitorais.  Apenas na última semana antes das eleições as pesquisas registraram a disparada de Witzel, que terminou o primeiro turno na primeira colocação, com 3,15 milhões de votos. No segundo turno, liderou toda a corrida eleitoral, apesar de Eduardo Paes (DEM) ter se aproximado dele no final.

Com o lema “Mudando o Rio com Juízo”, Witzel aliou sua imagem de político novo com a sua experiência na magistratura para criticar as gestões de Sérgio Cabral (2007 a 2014) e de Luiz Fernando Pezão (governador desde 2014) e angariar o apoio do eleitorado.

 

RS -O candidato Eduardo Leite (PSDB) venceu a disputa para o governo do Rio Grande do Sul, com 53,3% dos votos válidos. O atual governador José Ivo Sartori (MDB) ficou com 46,7% dos votos.

Até agora foram apurados 94,94% das urnas. Os votos brancos somam 4,38% e os nulos, 9,47%. A abstenção está em 18,89%.

 

Amapá – Atual governador do Amapá, Waldez Góes (PDT) acaba de conquistar, matematicamente, a reeleição. Ele tem 52,32% dos votos válidos, contra 47,68% de João Capiberibe (PSB), com 96,81% das urnas apuradas. Góes já governou o estado duas vezes.

Em 2010, logo depois de deixar o cargo para concorrer ao Senado, Góes foi preso pela Polícia Federal, acusado de desviar recursos públicos. No ano passado, foi inocentado pelo Superior Tribunal de Justiça, que entendeu não haver provas suficientes contra ele. Natural de Gurupá, tem 57 anos.

 

Minas Gerais – Com 90.54% das urnas apuradas, o candidato Helder Barbalho (MDB) foi eleito governador do Pará, com 55,24% dos votos válidos. Seu adversário, Marcio Miranda (DEM), está com 44,76%.

Os votos brancos somam 1,97% e os nulos, 9,68%. Até o momento, a abstenção registrada é 23,21%.

No primeiro turno Helder Barbalho ficou com 47,69% dos votos . Filho do senador Jader Barbalho e da deputada Elcione, Helder foi ministro dos Portos e da Integração Nacional. Foi vereador e prefeito de Ananindeua, cidade da região metropolitana de Belém. Helder foi citado nas delações da Odebrecht: teria recebido irregularmente R$ 1,5 milhão da empreiteira para a campanha de 2014, quando concorreu a governador do Pará pela primeira vez.

O estreante na política Romeu Zema venceu o segundo turno para o governo de Minas Gerais, com 71,4% dos votos válidos. Com 77,14% das urnas apuradas, o ex-governador e senador da República Antonio Anastasia (PSDB) ficou em segundo lugar, com 28,6 dos votos válidos.

A vitória de Zema sobre um adversário bem mais conhecido confirma a surpresa do primeiro turno das eleições. De perfil liberal, ele despontou em primeiro lugar na disputa, com 13 pontos percentuais de diferença, após aparecer em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. Com o resultado, o atual governador, Fernando Pimentel (PT), não foi para o segundo turno.

Romeu Zema Neto é empresário e comandou durante 26 anos as empresas da família. O Grupo Zema opera uma rede de varejo de eletrodomésticos com 430 lojas em seis estados e atua nos ramos de concessionária de carros, autopeças e postos de combustível. Formado em Administração, Zema é hoje membro do Conselho do grupo.

Ele fez campanha com base no discurso de renovação da política. Aproveitou a onda de apoio ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) a nível nacional e local. Desde 1999, Zema era filiado ao PR, mas não se candidatou a nenhum cargo até este ano, quando se filiou ao partido Novo. O engenheiro e economista Paulo Brant será o vice-governador.

 

Santa Catarina – O candidato Comandante Moisés (PSL) venceu a disputa para o governo de Santa Catarina, com 71,03% dos votos válidos. O atual deputado Gelson Merísio (PSD) ficou com 28,97% dos votos.

Até agora foram apurados 74,44% das urnas. Os votos brancos somam 3,66% e os nulos, 8.23%. A abstenção está em 16.94%.

O futuro governador catarinense obteve 29,72% dos votos no primeiro turno. Correligionário do candidato à Presidência Jair Bolsonaro, Comandante Moisés se filiou ao PSL no início do ano e disputa sua primeira eleição. Ele é coronel da reserva e tem mais de 30 anos de atuação no Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, em Florianópolis, Criciúma e Tubarão.

PB Agora com Agência Brasil

 


Saiba mais sobre Certificação Digital no Portal Juristas. Adquira seu certificado digital E-CPF ou E-CNPJ com a Juristas Certificação Digital. Entre em contato através do WhatsApp (83) 9 93826000

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Adriano Galdino recebe título de cidadão pessoense e Medalha Epitácio Pessoa

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, recebeu, nesta segunda-feira (21), o título de cidadão pessoense e a Medalha Epitácio Pessoa, durante sessão solene realizada em conjunto…

Análise: prefeita do Conde faz pacto com “Drácula” e contrata empresas investigadas pela Calvário

O Calvário é mencionado em todos os quatro evangelhos quando relatam a crucificação de Jesus. Mas não é esse episódio bíblico que vou tecer comentários. O Gólgota em discussão está…