Por pbagora.com.br

A derruba do veto presidencial reforça a legalidade da contratação de advogados e contadores pela administração pública levando em consideração a peculiaridade das especializações destes profissionais.

O Congresso Nacional derrubou, nessa quarta-feira (12), veto presidencial ao projeto de lei 4.489/2019, de autoria do deputado Efraim Filho (DEM/PB). A medida apoiada pelo movimento municipalista que permite a dispensa de licitação para contratação de serviços jurídicos e de contabilidade pela administração pública vai à sanção presidencial após um longo debate nas duas casas.

“A legislação atual determina que a licitação é inexigível em casos em que a competição é impossível, como quando é requerida notória especialização para firmar o contrato”. Efraim Filho disse que os serviços do advogado e do contador são definidos, por natureza, como técnicos e singulares, se comprovada a notória especialização nos mesmos termos da Lei de Licitações: quando o trabalho é o mais adequado ao contrato, pela especialidade decorrente de desempenho anterior, estudos e experiência, entre outros requisitos.

Representantes de advogados e contadores defenderam o notório saber e a especialização como diferencial para uma contratação direcionada e o desenvolvimento de projetos específicos.

Nesta quarta (12) o deputado Efraim Filho contou com o apoio dos prefeitos, Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Famup, Conselho Regional de Contabilidade da Paraíba (CRC-PB), Associação Paraibana de Contadores Públicos (APCP-PB), Associação Paraibana de Advocacia Municipalista (Apam) e Ordem dos Advogados do Brasil. O projeto nasceu de um debate da Paraíba, através da Apam, que ganhou destaque nacional.

O presidente da Apam, Marco Villar, agradeceu o empenho dos deputados Efraim Filho (autor do projeto), Hugo Motta (relator) e o senador Veneziano (relator no Senado) e de toda a bancada federal paraibana que encabeçou essa luta. Ele destacou que essa é uma batalha histórica da advocacia municipalista que vem sendo criminalizada no exercício da sua profissão. “Esse projeto reafirma a legalidade das contratações. É fundamental que se leve em consideração a singularidade dos serviços. Sempre é bom destacar que confiança não se licita”, disse.

O presidente da Famup, George Coelho comemorou a decisão e afirmou que a nova legislação vai acabar com qualquer dúvida existente em relação a contratação desses profissionais.

Já o presidente da APCP-PB Alexandre Aureliano disse que contadores e advogados prestam serviço singular e não existia sentido a perseguição que vinha existindo em relação a contratação desses serviços por municípios.
Dos 476 deputados presentes, 417 se posicionaram pela derrubado do veto. Já no Senado, dos 71 votos, 62 foram pela derrubada.

 

Redação com Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Coletivo petista rejeita Anísio e anuncia apoio a RC e Barbosa pela PMJP

Contrariando a informação que a chapa proporcional do Partido dos Trabalhadores em João Pessoa apoiaria de forma unânime e irrestrita a candidatura impugnada de Anísio Maia, o Coletivo Nossa Voz,…

Em dia de debates, Cícero volta a defender “Ano Rosa” e lamenta “descaso” da gestão atual com a Saúde da mulher

O candidato à prefeitura de João pessoa, Cícero Lucena (Progressistas), defendeu no dois debates que participou ontem (28), Arapuan FM e TV Master, a realização de mamografias durante o ano…