Por pbagora.com.br

 Pesquisa de opinião divulgada pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes) em parceria com o instituto MDA divulgada nesta terça-feira (10) mostra que a presidente Dilma Rousseff tem 36,4% das intenções de voto para as eleições de 2014, três pontos percentuais a mais que na pesquisa anterior.

Na pesquisa anterior, divulgada pela CNT/MDA em 16 de julho, sob o impacto da onda de manifestações que se espalhou pelo país em junho, a presidente estava com 33,4%, uma queda de 19 pontos percentuais com relação à pesquisa em anterior divulgado pelo mesmo instituto em 11 de junho, que não captou os efeitos dos protestos. Naquela pesquisa, Dilma estava com 52,8% das intenções de voto e venceria as eleições já no primeiro turno.

A ex-senadora Marina Silva, possível candidata à Presidência pela Rede Sustentabilidade –que busca conseguir seu registro como partido na Justiça Eleitoral–, tinha 20,7% das intenções em julho e 12,5% em junho. Marina também subiu e aparece agora com 22,4% das intenções de voto.

O senador Aécio Neves, provável candidato do PSDB, detinha 15,2% das intenções de voto na pesquisa de julho e 17% na de junho e aparece agora com o mesmo percentual: 15,2%.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), também possível candidato à sucessão presidencial, estava com 3,7% das intenções em junho e subiu para 7,4% em julho, caindo agora para 5,2%.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 135 municípios de 21 unidades da federação, das cinco regiões, entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro de 2013. A pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais.

Outros cenários e segundo turno
Na pesquisa espontânea, Dilma ainda é o nome mais lembrado pelos entrevistados para as eleições de 2014, com 16% de menções. Ela é seguida pelo ex-presidente Lula (9,7%), Marina Silva (5,8%), Aécio (4,7%), Eduardo Campos (1,6%), o ex-governador de São Paulo José Serra (1%), do PSDB, o atual governador paulita, Geraldo Alckmin (0,5%), também do PSDB, e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa (0,5%), sem partido.

Os pesquisadores também consultaram os entrevistados sobre em quem votariam em um eventual segundo turno. Dilma vence em todos os cenários. Contra Marina Silva, Dilma teria 40,7% dos votos, vencendo a adversária, que teria 31,9%. Dilma teria 44% dos votos contra 24,5% de Aécio Neves, e 46,7% contra 16,8% de Eduardo Campos.

Se o segundo turno fosse excluísse Dilma, Marina Silva venceria Aécio Neves (39% contra 22%) e Eduardo Campos (45% contra 12,5%). Já na disputa entre o tucano e o pessebista, Aécio levaria a melhor, com 30,9% contra 14,9% de Campos.

Aprovação do governo
De acordo com a pesquisa, aprovação ao governo Dilma também melhorou e chegou a 38,1%, contra 21,9% que desaprovam. Na pesquisa anterior, divulgada pela CNT/MDA em 16 de julho, sob o impacto da onda de manifestações que se espalhou pelo país em junho, Dilma tinha aprovação de 31,3%, ante a 54,2% da pesquisa anterior, divulgada em 11 de junho.

A aprovação pessoa da presidente era de 73,7% em junho e oscilou negativamente para 49,3% em julho.

 

UOL

Notícias relacionadas

Ao lado de Aguinaldo, prefeito pede a ministro recursos para Saúde de São José de Espinharas

Neste sábado (17) o Prefeito de São José de Espinharas, Netto Gomes (Progressistas), participou juntamente com o deputado federal e líder da Maioria no Congresso, Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) da visita…

Estados liderados por bolsonaristas encabeçam mortes por covid-19; veja posição da Paraíba

Um estudo feito pela unidade de inteligência do portal Congresso em Foco mostra que os estados que mais votaram em Jair Bolsonaro no primeiro turno das eleições presidenciais de 2018…