Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (17) mostra as tendências de resultados para o segundo turno da eleição para alguns governos de estado. Para todos os levantamentos, a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

São Paulo

O atual governador de São Paulo, Márcio França (PSB), está tecnicamente empatado com o ex-prefeito da capital João Doria (PSDB). O tucano tem 52% dos votos válidos contra 48% de França.

Leia mais
Intervozes e Congresso em Foco farão debate ao vivo sobre a…
16 out, 2018
Bolsonaro e Haddad discutem no Twitter: “Quem conversa com poste é…
16 out, 2018
Os votos válidos não levam em consideração os que responderam que ainda não decidiram ou que votariam em branco ou anulariam o voto. Na pesquisa geral, Doria tem 46% contra 42% de França. Brancos e nulos equivalem a 10% e outros 2% não sabem ou não responderam.

Os dois empatam dentro da margem de erro da pesquisa. Doria pode ter entre 49% e 55%, e França, entre 47% e 51%.

A pesquisa encomendada ao Ibope pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo também mediu a rejeição dos dois candidatos. O tucano João Doria é o mais rejeitado entre os 1.512 eleitores consultados pelo Ibope, com 32% dos entrevistados afirmando que não votariam no candidato de jeito algum.

A rejeição de França é de 20%, mas o desconhecimento sobre sua figura é mais elevado: 28% dos entrevistados responderam que não conheciam França o suficiente para opinar, índice que foi de 18% em relação a Doria.

A pesquisa de São Paulo foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) com código de protocolo SP-07777/2018. No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o registro BR-07265/2018. O levantamento foi realizado entre 15 e 17 de outubro e o índice de confiança é de 95%.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) aparece à frente, com 60% dos votos válidos, contra 40% do ex-prefeito carioca Eduardo Paes (DEM). Considerando-se os votos totais, Witzel tem 51% e Paes, 34%. Brancos e nulos são 9% dos entrevistados, e 5% não souberam responder.

No levantamento sobre o potencial de voto e a rejeição dos candidatos, Witzel aparece com os seguintes resultados:

Com certeza votaria nele para governador: 40%

Poderia votar nele para governador: 14%

Não votaria nele de jeito algum: 18%

Não o conhece o suficiente para opinar: 26%

Não sabem ou preferem não opinar: 2%

Eduardo Paes é mais rejeitado. Eleitores que não votariam nele de jeito algum chegam a 48%. Seguem os resultados:

Com certeza votaria nele para governador: 21%

Poderia votar nele para governador: 18%

Não votaria nele de jeito algum: 48%

Não o conhece o suficiente para opinar: 11%

Não sabem ou preferem não opinar: 2%

A pesquisa no Rio de Janeiro foi realizada de 15 a 17 de outubro. Foram entrevistados 1.512 eleitores em 43 cidades. O levantamento foi contratado pela TV Globo e pela Editora Globo e tem registro no TRE com o protocolo RJ-04021/2018. No TSE, BR-01312/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Distrito Federal

No DF, o candidato Ibaneis Rocha, do MDB, tem 50 pontos percentuais a mais que o atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), nos votos válidos, quando são descartados brancos, nulos e indecisos. Ibaneis tem 75%, contra 25% de Rollemberg.

Se forem considerados os votos totais, o candidato do MDB aparece com 68% e seu adversário tem 23%. Nessa contagem, brancos e nulos são 6%, e 3% dos entrevistados não souberam ou não responderam.

Nas perguntas sobre o potencial de voto e a rejeição dos candidatos, os resultados são os seguintes:

Com certeza votaria nele para governador: Ibaneis 49% X 13% Rollemberg

Poderia votar nele para governador: Ibaneis 18% X 17% Rollemberg

Não votaria nele de jeito nenhum: Ibaneis 14% X 59% Rollemberg

Não o conhece o suficiente para opinar: Ibaneis 17% X 9% Rollemberg

Não sabem ou preferem não opinar: Ibaneis 2% X 2% Rollemberg

O Ibope entrevistou 1.204 eleitores no DF, de 14 a 16 de outubro. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e tem registro no TRE com protocolo DF-05023/2018 e, no TSE, BR-04848/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Minas Gerais

Em Minas, o candidato do Novo, Romeu Zema, lidera com folga. Ele tem 66% dos votos válidos contra 34% de Antônio Anastasia (PSDB). Na pesquisa geral, Zema tem 57% contra 29% de Anastasia. Brancos ou nulos somaram 8% e 6% não sabem ou não opinaram.

Anastasia é o mais rejeitado dos dois. Dos 1.512 eleitores entrevistados entre 15 e 17 de outubro, 41% deles não votariam de jeito nenhum no tucano. Zema tem rejeição de 13% do eleitorado entrevistado.

Zema é considerado desconhecido por 25% dos entrevistados, índice que foi de 18% sobre Anastasia.

A pesquisa Ibope para o segundo turno em Minas Gerais foi encomendada pela TV Globo e registrada sob o protocolo MG-00033/2018 no TRE de Minas Gerais e sob o protocolo BR?09365/2018 no TSE. O índice de confiança é de 95%.

 

Rio Grande do Sul

Nos votos válidos, Eduardo Leite (PSDB) teve 59%, e José Ivo Sartori (MDB), 41%. Já nos votos totais, Leite pontua 52% e Sartori, 36%. Brancos e nulos somam 8% e não souberam responder, 4%.

A rejeição a Sartori é de 36%. Os entrevistados que disseram que com certeza votariam nele para governador chegam a 26%, e 24% dos eleitores responderam que poderiam votar no emedebista. Os que não opinaram por não conhecerem o candidato suficientemente somaram 12%, e 1% não souberam ou não opinaram.

Leite é menos rejeitado: 12% dos eleitores não votariam nele de jeito nenhum. E 36% responderam que votariam com certeza no tucano. Outros 25% disseram que poderiam votar no candidato. Entre os entrevistados, 25% não o conhecem o suficiente para opinar, enquanto 2% não souberam ou preferiram não responder.

O levantamento foi contratado pela RBS Participações e ouviu 1.008 eleitores em 63 cidades do Rio Grande do Sul, de 14 a 16 de outubro. A pesquisa foi registrada no TRE-RS sob o protocolo RS-01741/2018 e no TSE sob o protocolo BR-08755/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Rio Grande do Norte

Fátima Bezerra, do PT, aparece à frente com 54% dos votos válidos. Carlos Eduardo (PDT) pontuou 46%. Nos votos totais, Fátima tem 48% e Carlos Eduardo, 42%. Brancos e nulos são 8%. Não souberam responder, 2%.

O potencial de Carlos Eduardo é de 33% de eleitores que votariam nele com certeza e 18% que poderiam votar nele. A rejeição do candidato do PDT é de 31%. Os que disseram não o conhecer o suficiente para opinar somam 14%, e 3% não sabem ou preferem não opinar.

Fátima Bezerra tem 38% de eleitores que votariam com certeza na petista, e 15% que poderiam votar na candidata. Já 33% disseram que não votariam de jeito nenhum em Fátima. Do total de entrevistados, 10% responderam que não conhecem a candidata o suficiente para opinar, e 3% não sabem ou preferem não opinar.

O levantamento, contratado pela Inter TV Costa Branca, entrevistou 812 pessoas em 40 cidades no RN, de 14 a 16 de outubro. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-08202/2018 e no TRE-RN sob o protocolo RN-07695/2018. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

PSD Nacional respalda nome de Bruno e deve abortar planos de Tovar virar prefeito em CG

O candidato mais votado, em Campina Grande, nas eleições para deputado federal de 2018, Bruno Cunha Lima, que se filiou recentemente ao PSD da Paraíba, vem agradando a cúpula nacional…

PT/PB separa gestão estadual da disputa pela PMJP e fica com os dois

Parceiro do PSB na construção da atual gestão, o Partido dos Trabalhadores na Paraíba garante seguir caminhando ao lado do Cidadania partido de João Azevêdo, na administração estadual. No entanto,…