A Paraíba o tempo todo  |

Confira: Áudio confirma que líder do PMDB na Câmara Bayeux pediu sindicância na saúde

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Após várias dúvidas sobre a veracidade da disposição do líder do PMDB na Câmara Municipal de Bayeux em solicitar uma sindicância para apurar a saúde da cidade, fato divulgado pela assessoria de imprensa da Casa, o Portal PB agora traz com exclusividade o áudio onde o vereador Jorge de Sousa (PMDB) afirma apoiar a sindicância.

Os trechos onde o vereador se declara a favor da sindicância são estes:

“Vereador Misael, eu quero dizer que as denúncias feitas por vossa excelência cabem uma investigação, uma sindicância, e conte com o apoio nosso, da nossa liderança política e partidária aqui desta Casa para que este caso seja passado a limpo, seja esclarecido para sabermos os verdadeiros culpados”, falou.


Ainda no áudio o vereador do PMDB ratifica que deve ser realizada uma sindicância


“A gente sabe que os problemas da saúde são muito sérios, não só aqui no município Bayeux, mas também na Paraíba e no Brasil, mas há questões que quando envolvem responsabilidade de profissionais tem que se apuradas, tem que ser feito uma sindicância para que isto seja esclarecido e os culpados devem ser punidos conforme a lei”, ratificou o vereador durante pronunciamento no plenário da Câmara.

Confira o áudio

 

(Problemas para ouvir? Clique aqui)

Leia o release enviado pela Assessoria da Câmara:

 

“Bayeux: caos na saúde leva o próprio líder do prefeito pedir sindicância”.

Durante a realização da sessão ordinária desta terça-feira, 12, na Câmara de Vereadores de Bayeux um fato chamou a atenção, em meio a apresentação de requerimentos e projetos de lei. O presidente da Casa, vereador Mizael Martinho (DEM), conhecido por Fofinho, usou a tribuna para narrar um fato lamentável acontecido no Hospital Materno da cidade.

A paciente Maria Salete do Nascimento, residente no Jardim Aeroporto, deu entrada na segunda-feira, 11, às 10h35min e após examinada, a médica plantonista verificou a necessidade de fazer uma curetagem. Ao passar pelo plantão médico, no dia seguinte (terça-feira), às 11h, por falta de anestesista, a paciente teve que ser transferida para João Pessoa. No mesmo dia outra paciente teve que fazer um parto forçado sem anestesia por falta do médico.

Durante o discurso do presidente da Casa, o vereador Jorge de Souza (PMDB) que é líder do prefeito Jota Júnior aparteou o mesmo e se colocou à disposição para responsabilizar os culpados e exigiu a apuração dos fatos com a instauração de uma sindicância para que tudo seja esclarecido. “Tem que ser tudo apurado e os culpados punidos pela lei” afirmou o líder. O vereador Lico (PSB) também fez o aparte e disse que a situação tem que ser apurada pelo Ministério Público. A vereadora Célia Domiciano se mostrou indignada com o mau atendimento e a falta de um hospital de urgência e emergência na cidade, que tem mais de 100.000 habitantes. Outro a expor sua revolta foi o vereador Cariolando que foi vítima do péssimo atendimento. Ele disse que teve uma dor de cabeça e passou mais de 40 minutos para ser atendido.

Após o fim da sessão, os vereadores Cariolando, Nino, Lico, Raminho do Calçamento, Fofinho, Roni e Célia Domiciano saíram em comitiva para o Hospital Materno para conferir de perto a situação caótica. Conversaram com os profissionais de saúde e a população que reclamaram do péssimo atendimento e da falta de estrutura.

Assessoria 

 

PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe