Por pbagora.com.br

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) se manifestou na noite deste domingo (14), sobre o recente ato de cerca de 30 manifestantes bolsonaristas autodenominados ‘300 do Brasil’ que simularam na noite do sábado (13) com fogos de artifício um ataque ao Supremo Tribunal Federal (STF). “Componente terrorista”, disse o senador que também lidera o Bloco Parlamentar “Senado Independente” (PSB, PDT, REDE, Cidadania).

“Esse gesto atentatório contra o STF, antes de simbolizar componente terrorista, fala às nossas consciências do quão antidemocrática é a incitação presidencial contra às Instituições Republicanas”, comentou Veneziano por essas redes sociais.

Entenda o caso- Pouco antes do fechamento da Esplanada dos Ministérios para veículos e pedestres a partir da 0h deste domingo, cerca de 30 manifestantes bolsonaristas autodenominados ‘300 do Brasil’ simularam com fogos de artifício um ataque ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os fogos foram disparados às 21h30 na direção do edifício principal do STF, na Praça dos Três Poderes, enquanto os manifestantes xingavam ministros da Suprema Corte.

“Isso para mostrar ao STF e ao (Governo do Distrito Federal) GDF que nós não vamos ‘arregar’. Repararam que ângulo dos fogos está diferente da última vez? Se preparem, Supremo dos bandidos, aqui é o povo que manda. Tá entendendo o recado?”, ameaçou um manifestante em vídeo nas redes sociais.

A Procuradoria-Geral da República instaurou neste domingo (14) um procedimento preliminar para apurar o ato de manifestantes que, na noite de sábado (13), dispararam fogos de artifício em direção ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. A investigação atende a um pedido do presidente do STF, Dias Toffoli, que solicitou ainda que Renan da Silva Sena, apoiador do presidente Jair Bolsonaro, seja responsabilizado “por ataques e ameaças à Instituição deste Supremo Tribunal Federal e ao Estado Democrático de Direito, inclusive por postagens em redes sociais, bem como todos os demais participantes e financiadores, inclusive por eventual organização criminosa, os quais ficam desde logo representados, devendo-se ser adotadas as necessárias providências para a investigação e persecução penal”.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: a disputa pela PMJP e a indefinição sobre encarar a cruz do confronto ou apostar na espada das propostas

Faltam pouco mais de 20 dias para a realização das eleições municipais e cada dia é precioso em busca de conquistar novos votos e apoiadores, sobretudo na capital paraibana que…

Juiz nega agravo da Nacional do PT contra candidatura de Anísio

  O juiz federal Rogério Roberto Gonçalves de Abreu, da Justiça eleitoral, negou agravo de instrumento da Executiva Nacional do PT nacional que solicitava a reforma da decisão do juiz…