Na foto ao lado, estão retratados (no sentido horário, girando da esquerda para a direita e vice-versa), os coronéis Kelson, Arnaldo, Wolgrand e Américo.

Sistema Único de Segurança

Qualquer um deles tem competência suficiente e treinamento necessário para poder ser o primeiro coordenador do novo SUS (Sistema Único de Segurança) que será implantado na futura gestão socialista da Paraíba, a partir do próximo dia 1º de janeiro de 2011.

Decisão na undécima hora

Apesar de vários nomes já terem sido especulados em diversos setores da imprensa falada, escrita e televisada – inclusive nesta coluna – o governador eleito Ricardo Coutinho (PSB) continua afirmando que só divulgará seu secretariado após a conclusão dos trabalhos da equipe designada para compor a chamada Comissão de Transição, ou seja, até o final-do-ano.

Governador eleito faz reflexão

Ao contrário do que vem sendo especulado também pelos portais e blogs, Ricardo nega que já tenha alguns nomes definidos para ocupar cargos em seu governo. Segundo o vice-governador eleito na chapa dele, deputado federal Rômulo Gouveia (PSDB), Coutinho reservou este final-de-semana e feriado para descansar e refletir sobre seu futuro secretariado.

Primeiro o perfil e depois os nomes

Ricardo adiantou, porém, que os futuros auxiliares terão que preencher um perfil técnico pré-estabelecido por ele: “Vamos definir primeiro um formato de gestor que atenda as necessidades do futuro governo, para somente depois disso podermos escolher os nomes”.

PM não tomará partido

O governador eleito disse, ainda, que pretende despartidarizar a administração pública estadual: “Temos que acabar com a paixão política que existe na Polícia Militar, na Cehap e na Cagepa, por exemplo.”

Escolhendo em outro Estado

Mesmo assim, há quem diga que a solução final será mesmo trazer um oficial de alta patente de fora do Estado, como o ex-governador Tarcisio Burity (já falecido) fez com os coronéis do Exército Geraldo Navarro, Marden Alves da Costa e Severino Talião de Almeida, que passaram pela secretaria de Segurança Pública e pelo comando-geral da PM, em meados da década de 1980.

Comandante-geral “importado”

O ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB) também trouxe logo no início do primeiro mandato dele, para exercer o cargo de titular da antiga SSP, o coronel Noaldo Alves da Silva, que esteve no Exército combatendo a guerrilha do Araguaia, no começo da década de 1970, durante a Ditadura Militar e depois foi secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro (quando queria transferir todos os presos das cadeias para os porões dos navios ancorados na Baía de Guanabara) e comandante-geral da PM de Pernambuco.

Solução vinda de fora

Ricardo poderia pedir à presidente eleita Dilma Roussef (PT) que indicasse um oficial do Exército para a função de coordenador dessa difícil tarefa ou até mesmo fazer essa solicitação ao principal aliado dele na região Nordeste, que é governador reeleito de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que – por sua vez – poderia ceder os serviços de um experiente oficial da PM pernambucana.

Veja o currículo dos cotados

Algumas das nossas opções domésticas, entre outros nomes de coronéis ou tenentes-coronéis a serem promovidos por merecimento ou pelo critério de antiguidade, já elencados por esta coluna, são estas, na lista abaixo:

Kelson de Assis Chaves – Natural de Campina Grande, ingressou na Polícia Militar da Paraíba em dezembro de 1984, como aspirante a oficial. Quando era tenente, instalou o 1º Pelotão de Sapé (hoje 17ª Cia). Ele cursou o ensino fundamental e médio no Colégio Arquidiocesano Pio XII, em João Pessoa. No ensino superior, tem graduação no Curso de Formação de Oficiais, pelo Estado do Ceará. Ex-comandante da Tropa de Choque quando era capitão, tinha como seu ajudante-de-ordens o então cabo Dênis (atualmente sargento reformado, ex-deputado estadual e presidente do Partido Verde). Foi assessor militar do Tribunal de Justiça na gestão do desembargador aposentado Raphael Carneiro Arnaud. Ex-comandante-geral da PM no governo Cássio, tem como especialidade o fato de ser “snipper” (atirador de elite). Sob seu comando foi criada a Rotam (modalidade tática de patrulhamento em rondas feitas por soldados em motos). É filho do coronel Marcilio Pio Chaves, ex-vereador de João Pessoa e ex-comandante da Guarda Municipal, durante a gestão do ex-prefeito e hoje senador Cícero Lucena (PSDB).

Arnaldo Sobrinho de Morais Neto – Ex-comandante do BP-Tran, implantou a Patrulha Rodoviária Estadual e é atualmente coordenador de Planejamento e Projetos do Estado Maior Estratégico da corporação. Nos últimos dois anos (logo após ter exercido o cargo de comandante da 4ª Cia do 1º BPM), concluiu seu Mestrado em Direito na UFPB (com a dissertação “Cybercrime e Cooperação Internacional: Um Enfoque à Luz da Convenção de Budapeste”) e ainda esteve proferindo palestras sobre este mesmo assunto no Cairo (Egito), Viena (Áustria), Brno e Praga (ambas na República Tcheca), em 2008 e por último, em Roma (Itália) e República de Malta, no ano passado. Advogado, ele também é diplomado como Instrutor de Direito Humanitário, pela Cruz Vermelha Internacional. É mestre em Direito, pelo programa de pós-graduação em Ciências Jurídicas da UFPB, formado e pós-graduado em Segurança Pública, pela Academia de Polícia Militar do Cabo Branco e bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, com especialização em Direito Penal e Criminologia (pela Universidade Potiguar). O oficial também é pesquisador vinculado à International Association of Cybercrime Prevention (AILCC), que tem sede em Paris, na França. Ele leciona aulas como professor de Direito Penal nas faculdades Asper e Fesp, além de ser sócio-efetivo da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

Carlos Américo Pereira de Oliveira – Ex-comandante da Tropa de Choque quando era capitão, hoje dirige o 1º BPM, localizado no centro da cidade, sito à praça Pedro Américo, ladeado pelo teatro Santa Roza e pelo prédio onde funciona o Paço Municipal (antigo edifício-sede dos Correios e Telégrafos).

Wolgrand Pinto Lordão Júnior – Filho do também coronel Wolgrand Lordão (já falecido) e da delegada Maria Daluz, ex-comandante do 4º BPM em Guarabira, atualmente é o responsável peo Policiamento da Capital e de toda a Região Metropolitana da Grande João Pessoa, englobando os municípios de Bayeux, Santa Rita, Conde e Lucena.

Francisco de Assis Silva – “Eterno” presidente do Clube dos Oficiais, já foi candidato a cargos eletivos como os de vereador e deputado estadual várias vezes, é ex-secretário de Juventude, Esporte e Lazer do Estado e atual diretor-superintendente do Detran (Departamento estadual de Trânsito). Foi um dos principais líderes da 1ª greve realizada pela instituição, na história da Paraíba, em 1997, durante o Governo Maranhão 1, tendo sido preso no quartel do Corpo de Bombeiros, por causa disso.

Rizonaldo Rodrigues da Costa – Ex-ajudante-de-ordens do governador não-reeleito José Maranhão (PMDB), quando ainda era major, ocupa atualmente o cargo de diretor de Transportes do DER (Departamento de Estradas e Rodagens), foi comandante do 2º e do 4º BPM’s, respectivamente situados em Campina e Guarabira, além de ser irmão do coronel Ricardo Rodrigues, atual comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militares da Paraíba.

Everaldo Dutra Barbosa da Silva – Ex-comandante do 3º BPM, em Patos, é o atual comandante do recém-criado Batalhão de Policiamento de Trânsito (ex-CP-Tran, que ele já comandou anteriormente, quando ainda era major) e também foi ajudante-de-ordens de Cícero, na PMJP.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João Azevêdo nega falta de diálogo e deixa portas do Palácio abertas para a base: “Essa crítica não me cabe”

O governador da Paraíba João Azevêdo garantiu ter deixado as portas do Palácio da Redenção abertas para os deputados estaduais que fazem parte da sua base na Assembleia. De acordo…

Deputado estadual quer liberação para a construção de espigões na orla de JP

Estando do lado dos construtores que querem implementar na orla de João Pessoa, espigões o deputado estadual Cabo Gilberto (PSL) apresentou uma Emenda a Constituição estabelecendo permissão para construção de…