O governo sofreu mais uma derrota. Depois de a Câmara ter aprovado a admissibilidade da reforma tributária na tarde de ontem (22/5) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a maioria dos deputados no plenário da Casa votaram pela transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública para o Ministério da Economia. Cinco deputados federais da Paraíba votaram para tirar o Coaf do controle do MJ e colocar o mesmo sob a responsabilidade para o Ministério da Economia, foram eles: Aguinaldo Ribeiro (PP), Damião Feliciano (PDT), Frei Anastácio (PT), Gervásio Maia (PSB) e Hugo Motta (PRB).

 

A votação é referente a um destaque ao relatório aprovado na Comissão Mista Especial da Medida Provisória (MP) 870, que discute a reforma administrativa feita pelo governo. O parecer previa a transferência do Coaf para a Economia e os deputados votaram um destaque para sustar os efeitos do relatório. De 442 deputados presentes, 210 votaram para manter o conselho na Justiça. Entretanto, 228 optaram pela retirada e alocação da estrutura na Economia. Quatro parlamentares se abstiveram.

 

Votaram favoráveis a manter o Coaf com o ministro, Sérgio Moro, os deputados: Efraim Filho (DEM), Julian Lemos (PSL), Pedro Cunha LIma (PSDB), Ruy Carneiro (PSDB). Estiveram ausentes: Edna Henrique (PSDB), Wellington roberto (PR) e Wilson Santiago (PTB).

 

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Vereador diz que declarações de Alexandre do Sindicato é “Reflexo da Operação Famintos”

Integrante da bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande, o vereador Galego do Leite (Podemos) reagiu as declarações do vereador e vice-líder da situação  Alexandre do Sindicato (PHS),…

Cinco deputados paraibanos assinam pedido de CPI da ‘Lava Jato’ na Câmara

O pedido de CPI da Lava Jato foi validado pela Mesa da Câmara dos Deputados nesta última sexta-feira (13). A Mesa validou 175 das mais de 200 assinaturas obtidas pela…