Minimizando possíveis rusgas, após declarações sobre os auxiliares da gestão João Azevêdo (PSB) que repercutiram de forma contrária ao posto ocupado por Nonato Bandeira (PPS), na chefia de gabinete do Estado, a deputada estadual Cida Ramos (PSB) declarou que não teve a intenção de dizer que na gestão há secretários de primeira ou segunda categorias.

De acordo com Cida, a sua fala foi no sentido de que a maioria do secretariado continuou na gestão por estarem no projeto socialista há muito tempo, tendo inclusive contribuído com a criação e fortalecimento deste, enquanto que outros, em sua minoria foram indicações do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Nonato estaria nesse segundo grupo.

Cida ainda disse que o seu relacionamento com Nonato é de companheirismo e que não houve atritos com o secretário por conta da sua declaração.

"Nonato é um companheiro também, não tenho problema nenhum, tenho liberdade para dizer as coisas a Nonato assim como ele tem de dizer as coisas a mim. Em momento nenhum houve diminuição de ninguém, o que eu revelei apenas foi o que é verdade. Que o governo teve secretários que permaneceram e que estão no projeto há muito tempo, e tem secretários, alguns pouquíssimos, que foram indicados por Ricardo e Nonato foi esse. Como João disse,  todos os secretários são secretários do governo e isso aí nós temos como unanimidade" declarou.

PB Agora

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Prefeito pede a Aguinaldo que 14ª Vara Federal de Patos não seja transferida

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) recebeu o pedido do prefeito Netto Gomes, da cidade de São José de Espinharas, para que auxilie na permanência da 14ª Vara da Justiça…

MAIS UM: presidente do PSB de João Pessoa renuncia ao cargo

Nesta quinta-feira (19), o presidente do PSB de João Pessoa, Ronaldo Barbosa, divulgou carta renunciando ao cargo que ocupava na sigla socialista. De acordo com o documento, Barbosa alegou não…