Por pbagora.com.br

“Quem enfrentou um processo de injustiça, difamação e calúnia tem tranquilidade”. Foi assim que o ex-senador Cícero Lucena (PP) rechaçou a possibilidade de estar blefando quanto a real possibilidade de disputar a prefeitura de João Pessoa, nas eleições desse ano devido a um possível impedimento resultante de uma ação que ainda tramita no Tribunal de Contas da União.

“Ganhei a ação. O MPF recorreu e ganhamos por unamimidade o recurso. Já apresentei esse resultado ao Tribunal de Contas da União e é uma questão de praxe quando se é inocentado na Justiça comum, a decisão ser reconsiderada. É uma questão de tempo. O que houve contra mim não foi uma condenação, mas uma multa que me foi imputada”, esclareceu.

Citado na Operação Confraria, Cícero Lucena chegou a ser preso pela Polícia Federal em 2005, mas o TRF da 5ª Região julgou em dezembro passado um recurso de apelação do ex-prefeito contra sentença da 3ª Vara da Justiça Federal de João Pessoa que, que embora tenha reconhecido que não teria ocorrido qualquer das acusações da denúncia, tinha condenado Cícero Lucena por corrupção.

Apesar disso, quando do julgamento no TRF, a 4ª Turma reconheceu, por unanimidade, que não teria ocorrido organização criminosa, formação de quadrilha, fraude à licitação, superfaturamento pela não realização de obras. O Tribunal reconheceu também que não ocorreu crime de corrupção. As declarações do ex-senador repercutiram em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta terça-feira (22).

 

Redação

Notícias relacionadas

Prefeitos ingressam no Cidadania e anunciam apoio à reeleição de João Azevêdo

Os prefeitos de São Vicente do Seridó, Erivam de Biu (PSD), e de Riacho de Santo Antônio, Gilson Gonçalves (Pros), anunciaram nesta terça-feira (11), suas filiações ao Cidadania e o…

MPPB ajuíza ação contra Dedé Romão por doação irregular de terrenos em Pedras de Fogo

O Ministério Público da Paraíba (MPPB), através do promotor Marinho Mendes, ajuizou Ação Civil de Improbidade Administrativa contra o ex-prefeito de Pedras de Fogo, Dedé Romão, por suposta doação irregular…