Por pbagora.com.br

O assunto ainda é delicado. Dito assim, inclusive, parece devaneio. Mas, para o grupo cassista, a garantia de uma convivência política amistosa entre o senador Cícero Lucena (PSDB) e o prefeito Ricardo Coutinho (PSB) seria a salvação do projeto anti maranhista. Porque essa incompatibilidade política de Cícero e Ricardo coloca Maranhão numa situação semelhante a do artilheiro que espera, atento e paciente, pegar a bola dividida na pequena área.

O atípico na relação de Ricardo e Cícero é que ambos querem derrotar Maranhão. Só que querem fazer isso distante um do outro. O que deixa o governador com dois relativos adversários que são, mutuamente, adversários. Para Cássio, é mais fácil traduzir Shakespeare do que entender como sair dessa desconexão. Porque, por ora, Cícero e Ricardo se comportam como se fossem excludentes.

Ou seja, se houver segundo turno com ou com o outro, ambos demonstram que estarão em palanques opostos. E aí vem a pergunta: “Como se ganha o segundo turno sem somar?”.

O histórico de desencontros de Cícero e Ricardo vem de longe. Quando prefeito, o senador tucano viu Ricardo Coutinho estribuchar contra sua gestão por várias vezes, seja na tribuna da Câmara seja na tribuna da Assembleia. Independemente da natureza que movia o Mago na época, e hoje fica até um pouco mais claro, o fato é que Ricardo Coutinho deve ser responsabilizado sim por boa parte da descontrução da imagem do senador em João Pessoa.

Cícero atribui ainda algo mais grave: a prisão na Polícia Federal. Ricardo diz que não tinha forças pra isso. Nunca negou desejo, no entanto. Em contrapartida, o senador sempre foi um franco atirador contra a gestão do mago em João Pessoa, a quem lista uma série de acusações, que vão desde a irregularidades em licitações no lixo da Capital a aumento da folha de pessoal.

Neste sentido, Cássio estaria muito disposto a voltar à Paraíba e permanecer filiado ao PSDB reafirmando voto em Cícero. Mas ele precisa saber que, não conseguindo ir para o segundo turno com o tucano, terá todo o PSDB apoiando Ricardo Coutinho. Ou então chegando ao segundo turno com Cícero terá o apoio de Ricardo Coutinho.

Sem essas simulações, apenas Maranhão sai na vantagem. Porque ele pode alimentar muito bem a animosidade entre Cícero e Ricardo, fazendo amigos onde brota o ódio.

 

 

Notícias relacionadas

João Azevêdo diz que relação com Ministério da Saúde não é uma deferência ao Governo

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), rechaçou qualquer tese de proximidade política com o governo Bolsonaro após o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Medeiros, ressaltar a importância do…

Ruy faz novo investimento no Hospital São Vicente e reforça atenção aos pacientes do SUS

Com o objetivo de fortalecer o Sistema Único de Saúde, que atende cerca de 150 milhões de brasileiros, segundo dados do IBGE, o deputado federal Ruy Carneiro destinou R$ 1,2…