Por pbagora.com.br

Condenado pela Justiça paulista por não pagar pensão alimentícia à ex-mulher, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta cumpre desde quarta-feira (23) a prisão domiciliar. A determinação é do juiz Francisco Antônio Bianco Neto, da 5ª Vara da Família da capital. Pitta estaria devendo para Nicéia Camargo R$ 155 mil. Ele era considerado foragido.

Segundo Remo Battaglia, um dos advogados do ex-prefeito, disse que Pitta voltou do feriado de Tiradentes na quarta e foi para casa, onde policiais civis estiveram para que ele assinasse o ofício da prisão domiciliar por 30 dias. No dia 1º de abril, o réu teve um novo pedido de prisão expedido, mas, no dia 17, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu habeas corpus permitindo que cumprisse a prisão em casa.

 

Battaglia pede agora junto à Justiça que seu cliente possa deixar a residência nesse período de um mês para fazer o tratamento de quimioterapia contra um câncer de fígado. “Entrei com uma petição ontem (quarta). Ele precisa de cuidados. Tem de ficar em repouso”, disse o advogado ao G1 nesta quinta-feira (23).
 

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Morre vítima da covid-19, Ivanes Lacerda, ex-prefeito interino de Patos

Faleceu na tarde desta segunda-feira (25), o ex-prefeito interino de Patos Ivanes Lacerda, 74 anos. O político não resistiu as complicações causadas pela covid-19. Lacerda estava internado em hospital particular…