Por pbagora.com.br
 
 

O comando do Partido dos Trabalhadores de Campina Grande, mais uma vez deve partir rachado numa eleição na cidade. Seguindo seu histórico de divisão o diretório comandando atualmente pelo professor Hermano Nepomuceno, não se definiu em ter um candidato próprio a prefeito da cidade ou apoiar um postulante de outra sigla.

Apesar de um grupo majoritário defender o lançamento de candidato próprio, sob o nome de Márcio Caniello, professor da UFCG, onde cerca de 140 filiados assinaram manifesto rechaçando qualquer composição que não tenha o partido na cabeça-de-chapa. Outro grupo de 21 membros assinou outro manifesto defendendo o apoio à pré-candidatura de Inácio Falcão (PCdoB) a prefeito. Para esses filiados, com “uma candidatura sem expressão, poderíamos colocar em cheque possíveis postulantes a vereança, desestruturando a principal ideia, que é a retomada de mandatos e o fortalecimento do partido”.

Recentemente o professor da UFCG e ex-secretário do prefeito Romero Rodrigues, Márcio Caniello, postou nas suas redes sua a vontade e disposição de disputar as eleições municipais de Campina Grande deste ano como pré-candidato a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores, em vídeo postado nas redes sociais. Veja:

 
 
Notícias relacionadas

Opinião: Na Paraíba, donos de partidos não permitem o surgimento de novas lideranças

Os partidos no Brasil se transformaram em patrimônios de alguns, de famílias e de velhas raposas políticas. Na Paraíba, nem se fala… Aqui, quase todas as legendas pertencem a alguém. …

MPF aponta que superfaturamento do caso Desk teria ido do governo Maranhão ao de RC

Após o Ministério Público Federal ter denunciado nessa quinta-feira (6), os ex-secretários de Educação da Paraíba, Francisco Sales Gaudêncio e Afonso Celso Caldeira Scocuglia por suposto envolvimento em esquema de…