O plenário da Câmara dos Deputados deve votar na terça-feira, em regime de urgência, projeto de resolução que tira do segundo-vice-presidente da Casa, deputado Edmar Moreira (DEM-MG), a função de corregedor-geral. Pressionado até por seu próprio partido, Moreira já disse ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), que concorda em perder o posto de corregedor, mas não a segunda-vice-presidência. ?Aí é outro assunto, já que ele foi eleito pelo plenário?, disse Temer.

 

Depois de eleito, Moreira declarou que não encaminharia ao Conselho de Ética nenhum processo de cassação contra colegas que, porventura, viessem a quebrar o decoro parlamentar. E deu uma prosaica justificativa: ?Temos o vício insanável da amizade?. As declarações soaram a corporativismo e irritaram alguns deputados.

 

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), tem pressionado Moreira a renunciar até ao cargo de segundo-vice. Não só por causa de suas opiniões contrárias aos processos, mas porque Moreira é suspeito de ter ocultado da Justiça Eleitoral a propriedade de um prédio em forma de castelo em São João Nepomuceno (MG), a cerca de 250 quilômetros de Belo Horizonte. O castelo está à venda por R$ 20 milhões.

 

Estadão

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

CPI do Feminicídio vai convocar secretários de João para debater os casos na Paraíba

Em entrevista à imprensa paraibana, a deputada estadual Cida Ramos (PSB), que recentemente teve seu nome envolvida na crise interna do seu partido, como sendo uma das responsáveis pela desunião…

Cinco deputados paraibanos assinam pedido de CPI da ‘Lava Jato’ na Câmara

O pedido de CPI da Lava Jato foi validado pela Mesa da Câmara dos Deputados nesta última sexta-feira (13). A Mesa validou 175 das mais de 200 assinaturas obtidas pela…