O presidente Cagepa, advogado Edísio Souto, confirmou na manhã desta quinta-feira (23), em entrevista ao PB Agora, que o débito que a Companhia amarga com prefeituras, empresas privadas e repartições públicas chega a R$ 176 milhões no total e anunciou uma operação de cobrança e declaro que, por determinação do governador Maranhão, tudo será feito sem distinção entre aliados e adversários políticos.

Levantamento obtido com exclusividade pelo PB Agora revela que hospital da família Maranhão, em Araruna, e da família dos Gadelha, em Campina Grande, estão na lista dos 50 maiores devedores particulares da Cagepa. A Maternidade e Hospital Maria Júlia Maranhão, de Araruna, deve mais de R$ 100 mil à Companhia.

“O governador deixou bem claro que procedesse a cobrança sem distinções, tomando apenas o cuidado para não inviabilizar a vida de ninguém, uma vez que estamos tratando de prefeituras em crise e de hospitais que atendem milhares de pessoas todos os dias”, declarou Edísio Souto. Segundo ele, a dívida das prefeituras chega a R$ 80 milhões.

A prefeitura de Campina Grande, do prefeito Veneziano Vital do Rego, do PMDB, sozinha deve quase R$ 12 milhoes.

Ontem, Edísio Souto esteve reunido com a diretoria da Cagepa e definiu a aprovação de resoluções para cobrança dos débitos das empresas privadas, prefeituras e repartições públicas. As resoluções serão levadas para apreciação do Conselho Administrativo. A previsão é de que a partir de segunda a Cagepa inicie o processo de cobrança e apresentação de alternativas para pagamento das contas.

No caso das empresas privadas, destacou Edísio Souto, quem se recusar a pagar terá o nome inscrito no Serasa.


PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: Bolsonaro desrespeita a “tradicional família” e choca a Pátria Amada com linguajar de manichula

Quem assistiu ao vídeo sobre a excêntrica reunião ministerial presidida por Jair Bolsonaro ficou estarrecido. Não havia como não ficar indignado e tomado por um sentimento deprimente de vergonha alheia.…

Ruy recebe demanda de artistas da PB e vai buscar aprovação de projetos

Diante do isolamento social provocado pela pandemia de Covid-19, um dos setores que mais tem sofrido é a classe artística. Sem poder realizar eventos e apresentações, os artistas, técnicos e…