Ao comentar sobre a decisão da direção nacional do ‘Aliança pelo Brasil’, novo partido do presidente da república Jair Bolsonaro, de não participar das eleições municipais deste ano, devido aos prazos exigidos pela justiça eleitoral para concretização da sigla, o deputado estadual Cabo Gilberto (ainda no PSL), que coordenou a formulação da sigla na Paraíba, comentou sobre essa decisão.

“Ficou da forma como estava, no meu caso a janela partidária para desfiliação só se abrirá em 2022, ou se mudarem a legislação. Ou ainda na formulação de um novo partido como foi o caso do ‘Aliança pelo Brasil’, mas como o partido ainda não ficou pronto vou continuar no PSL para não perder nosso mandato. Só poderia sair do partido por justa causa ou ser expulso”, disse Cabo.

Ao comentar sobre sua relação com o atual presidente estadual do PSL o deputado federal Julian Lermos, ele disse: “Eu não tenho nenhuma relação com o atual presidente estadual do PSL. Eu estou no PSL, mas é como se não estivesse”, afirmou o deputado estadual, ao comentar ainda que não apoiará o escolhido pelo PSL se o mesmo colocar um nome a disputa pela prefeitura da capital.

Com informações de Eliabe Castor

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: A pandemia é uma questão de saúde pública. Mas é difícil não politizar o assunto. Afinal…

Um dos aspectos mais negativos da pandemia que se abate sobre o mundo, com a proliferação do novo coronavirus é a conotação político-partidária que se dá à discussão sobre tão…

Bolsonaro diz que Moro é egoísta e não ajuda em crise da Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro disse que o Ministro da Justiça, Sergio Moro, é “egoísta” e não está atuando para defender as suas posições no enfrentamento às medidas restritivas dos Estados…