Rasteira, traição ou simplesmente falta de prática no discurso, foi assim que a decisão do PSL de escolher o vereador Lucas de Brito (PSL) o presidente estadual da sigla foi recebido nos quatro cantos do estado pelos deputados estaduais Tião Gomes e João Bosco (PSL) . Tião inclusive já assinou seu pedido de desfiliação e João Bosco deve seguir o mesmo caminho.

 

Em conversa com o PB Agora o parlamentar confidenciou os verdadeiros motivos de sua saída da sigla que ficará órfã na Assembleia Legislativa em breve. O deputado revelou que não tem problemas pessoais com Lucas, mas a queixa é que a Nacional resolveu alguns assuntos sem consultar todos os filiados. Para ele, o discurso de diálogo, participação transparência e mudança não foram colocados em prática.

 

“Eu não tenho nenhum problema pessoal com Lucas e sua família, eles são pessoas de tradição e corretas. A questão é partidária. Fiquei surpreso com a decisão tomada pela sigla e com a atitude deles que não condiz discurso e prática. Estiveram aqui membros da nacional e não convidaram e não consultaram todos os filiados antes de tomar decisões. Nenhum deputado foi chamado, vereadores e prefeitos de várias cidades não foram convidados. Qual a participação dos filiados nestas decisões? Eles pregam a mudança, transparência, participação, mas onde estes princípios estavam quando decidiram as coisas. A medida tomada foi um desrespeito. Diante disso, a nossa tendência é deixar o partido e procurar uma nova legenda que possamos trabalhar com tranquilidade”, explicou o parlamentar.

 

Indagado sobre convites e como se dará o critério de escolha para qual partido vai seguir, João Bosco destacou que ideologia partidária é hipocrisia, mas buscará uma sigla que tenha discurso e prática, além de ser uma escolha de responsabilidade pois vários outros seguiram seus passos e com eles irá decidir para onde vai em 2018.

 

“Recebemos convites de Wilson Santiago (PTB), Efraim Morais (DEM) e do vereador Eduardo Carneiro (PRTB), mas a decisão será tomada com cautela, analisando com responsabilidade. Observando como os colegas vão decidir e quando as regras do jogo estiverem esclarecidas vamos ter clareza qual será o partido para onde iremos. Ideologia partidária é hipocrisia, mas vamos seguir um partido que condiz discurso e prática ouvindo todos os companheiros”, finalizou. 

 

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Galdino surpreende e anuncia que ALPB terá Emendas Impositivas

Os deputados estaduais da Paraíba foram tomados de surpresa, na Sessão ordinária desta terça-feira (12), com o anuncia, por parte do próprio presidente da Assembleia, deputado Adriano Galdino (PSB), de…

Romero diz que não teve como controlar vaias à Lígia e pede desculpas

Diplomacia. Um dos momentos constrangedor durante a solenidade de entrega do Complexo Habitacional Aluízio Campos em Campina Grande, foi a vaia que o “público” deu na vice governadora Lígia Feliciano…