BOBO DA CORTE: após ser vaiado em sessão, vereador se lança candidato a prefeito e vira piada em Taperoá

 

 

 

O vereador Salomão Marinho (PSB) parece que não está raciocinado ao não se preocupar com a imagem patética que cria sobre si mesmo e se adentra cada vez mais na mediocridade que se tornou ao longo dos cinco mandatos que acumula na ‘bolsa de emprego’ particular que ele fez da Câmara Municipal.

 

O parlamentar é quase ou tão mais burlesco do que figuras decadentes como ex-jogadores de futebol, artistas de televisão, que não fazem mais sucesso, e algumas das famosas mulheres-frutas que se candidataram nas últimas eleições e se tornaram motivo de facécias no país.

 

Em Taperoá, é Salomão que beira o grotesco ao se espalhar pré-candidato para a Prefeitura e acabou virando a grande piada deste fim de ano na cidade, motivo de riso entre os moradores e de constrangimento em meio à classe política local.

 

Ainda faltam dois anos para a eleição que definirá o novo administrador do município, mas o assunto é recorrente e fez com que o parlamentar se adiantasse e no último final de semana em entrevista a uma rádio do cariri declarou que é o candidato do partido do prefeito.

 

No mesmo programa da emissora, o vereador comentou também que concorrerá com o presidente eleito em novembro passado para a Câmara, Sandro Jardel (PT), numa sessão em que o petista venceu por cinco votos contra quatro, ocasião em que Salomão foi até ao púlpito da Casa e saiu de lá vaiado por centenas de pessoas que estiveram presentes ao pleito.

 

As vaias deram uma demonstração clara de que o discurso dele já não ilude como no início da carreira, por tanto, péssima opção para substituir o atual prefeito Deoclécio Moura, que ainda não se manifestou publicamente sobre a autocandidatura de Salomão, que, aliás, segundo conversas de bastidores não é também estimado pelo gestor. E tolerado, porque em política isso as vezes se faz necessário.

 

No entanto, mesmo sem ter nenhuma posição do administrador, Salomão alega que tem apoio do PSB porque votou em Edvaldo Rosas, presidente estadual da legenda, e se sente preparado para assumir o lugar de Deó por ter no currículo cinco mandatos, por ser íntegro, partidarista, leal, coerente e por se manter em uma só facção política. O agente político diz, ainda, que conta com a confiança dos amigos e de toda a sociedade local.

 

Logo após ouvirem Salomão na rádio, os taperoaenses foram à internet para postarem suas opiniões e no espaço do Cariri Notícias reservado para comentários, sob codinomes, disseram o que pensam sobre o vereador.

 

Um deles, que assina como ‘Jânio’, diz que é de conhecimento de todos que Salomão e os companheiros do PSB foram infiéis ao apoiar José Maranhão (PMDB) na eleição passada.

 

Outro internauta que se define como ‘Aldo’ questiona a lealdade do vereador e lembra que Salomão saiu do PT para não ser expulso devido, conforme postagem, de que teria cometido irregularidades nas eleições internas do partido. ‘Aldo’ ainda provoca: “Salomão, leal? KKK, Te manca! Vais procurar tua turma!!! Lealdade onde?”

 

Já ‘Rafael’ é taxativo em seu comentário. O leitor de CN acredita que o candidato para prefeito de Taperoá tem que ter caráter, que não pule de galho em galho e que não olhe para o próprio umbigo.

O que os moradores da cidade explanaram na rede mundial de computadores serve como termômetro para medir a rejeição transparente que a imensa maioria nutre pela pré-candidatura e por Salomão, que em quase vinte anos de vereança nunca mostrou um plano de políticas desenvolvimentistas em todas as áreas da sociedade da qual diz ter confiança, em especial naquele atua, a Educação.

Seus cinco mandatos na verdade serviram de cabide de emprego para ele e para sua família, a esta sim ele tem sido fiel, mais do que aos amigos e ao povo taperoaense dos quais diz que tem apoio.

É muita presunção do vereador achar que pode ganhar uma eleição para prefeito uma vez que nos últimos anos só tem diminuído o seu numero de votos nas campanhas em que participa, sendo que na de 2008 chegou bem perto de não conseguir ser reeleito.

Sua candidatura estava tão difícil que deixou Salomão desesperado ao ponto de ir em casa de eleitores pedir para que estes rezassem para que ele não fosse derrotado nas urnas daquele pleito.

Os moradores já não se assustam mais com os discursos megalomaníacos dele na Câmara que na verdade não são no intuito de defender o governo municipal mas para garantir as ocupações de parentes em postos de trabalho na prefeitura, como por exemplo, os da esposa e de uma irmã dela.

A autocandidatura de Salomão Marinho de Oliveira não poder ser vista apenas como uma piada, e de mal gosto, diga-se de passagem, mas como uma agressão as inteligência, honestidade e dignidade de todos os taperoaenses.

 

 

Jandro Gomes, da Ascom

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano garante trabalhar por fim de impasse no PSB-PB: “Precisamos estar unidos”

O conflito interno vivido pelo PSB-PB tem dividido opiniões de integrantes da sigla. Há quem defenda a permanência de Edvaldo Rosas da presidência estadual da legenda, mas há também aqueles…

Presidente nacional do PSB quer reunião com João e RC em Brasília e defende unidade na sigla

O impasse interno no diretório estadual do PSB levantou a hipótese de que uma intervenção da Executiva nacional poderia ocorrer. No entanto, na manhã desta sábado, presidente nacional da sigla,…