Não é só a oposição que anda descontente com a postura do presidente da Assembléia Legislativa, Arthur Cunha Lima (PSDB). Os próprios governistas têm dificuldade de relacionamento com o tucano. Pelo menos é que o pensa o deputado oposicionista Carlos Batinga (PSB), que criticou nesta terça-feira (3) a gestão de Arthur Cunha Lima na presidência da Assembléia.

Os problemas são de duas ordens, declarou Batinga. A primeira delas de ordem política. “Arthur foi eleito e reeleito presidente de um poder e deveria agira como árbitro das disputas internas e não como líder do governo Cássio, porque esse cargo já foi preenchido”, disparou Batinga.

Ele disse que Arthur, apesar do parentesco com o governador Cássio, não pode a todo momento tomar as dores do governo. “Repito: é presidente de um poder e tem que agir como tal”, reafirmou o oposicionista.

Além disso, Batinga disse que há um abandono latente na gestão de Arthur das comissões permanentes da Assembléia. Segundo ele, existe comissão permanente na Casa que há dois anos não tem uma reunião sequer. “São comissões que só existem no papel. Não tem estrutura, não há reunião nem espaço para discussões temáticas. As matérias chegam no gabinete de Arthur e vão direto para o plenário”, destacou Batinga.

Ele disse que a oposição está disposta a manter uma relação harmoniosa na Assembléia. “Basta o presidente querer”, completou.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“A cultura política sempre conviveu com a corrupção”, diz especialista

Ao analisar os recentes escândalos de corrupção envolvendo diversos políticos paraibanos, o cientista político e professor doutor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Lúcio Flávio, disse que essas revelações pela…

Mesmo com foco na disputa pela PMCG, Ana Cláudia pode ir para Câmara Federal

Com foco na disputa pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, a secretária de Estado Ana Cláudia, pode vir a conquistar uma vaga na Câmara Federal, compondo o conjunto de parlamentares…