Natural. Foi assim que o  secretário João Azevêdo (PSB) avaliou as declarações de Damião Feliciano (PDT) sobre entrar em diálogo com o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PSD).

 

Feliciano integra a base governista desde o início do governo Ricardo e ressaltou que política se faz com diálogo e que nenhuma porta deve ser fechada. O prefeito da Capital retribuiu o afago.

 

“Vejo com normalidade. Política se faz com muita conversa. Na verdade o processo é esse… a vice-governadora e o deputado são pessoas que demonstraram claramente a sua lealdade e participação no processo que o PSB comanda no estado. Então acho que isso é mais um jogo político”, avaliou Azêvedo.

 

Azevêdo, que não sabia das declarações de Cartaxo e nem de Damião no momento, disse que vai conversar com o deputado, mas que respeita a autonomia e a decisão que a sigla possa tomar com relação ao projeto.

 

“Se o PDT, que tem autonomia partidária, decidir qual seu caminho ele fará sua escolha, e ninguém poderá ser a favor ou contra. Não cabe a um partido opinar sobre os destinos de outros partidos. Nós vamos conversar, temos interesse é claro, porque já fazem parte do projeto há seis anos, e o interesse é que permaneçam no projeto. Mas se não quiserem continuar no projeto, a decisão será respeitada é óbvio”, afirmou o secretário.



Redação

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

João transmite cargo para Lígia e vai à Europa em busca de investimentos

O governador João Azevêdo transmitiu, nesta sexta-feira (15), o cargo à vice-governadora Lígia Feliciano que ficará à frente do Poder Executivo durante o período que o gestor irá cumprir missão…

Tárcio, do PSOL, protocola queixa-crime contra vereador de João Pessoa

O ex-candidato a governador pelo PSOL, Tárcio Holanda Teixeira, protocolou uma queixa-crime na justiça paraibana contra o vereador pessoense Carlos Henrique da Costa Santos, conhecido como Carlão da Consolação que…