Gestantes portadoras de trombofilia (condição que pode trazer diversas complicações tanto para a mãe quanto para o bebê durante a gestação), em João Pessoa, estão usando as redes sociais para denunciar o atraso, por parte da Secretaria de Saúde da Capital, na entrega da medicação de princípio ativo Enoxaparina Sódica.

Segundo a denúncia, há pelo menos um mês a entrega, realizada pelo Instituto Cândida Vargas, está suspensa, colocando a vida de centenas de bebês, que têm apenas o poder público como assistência, em risco.

Conforme a denúncia, as mães que precisam da medicação para manterem seus filhos vivos, são submetidas a um tratamento além de ser sério, caro.

A dosagem do medicamente é de, pelo menos, uma vez ao dia. Algumas das mães, inclusive, são orientadas a continuar o tratamento após o nascimento do bebê.

“Por favor, peço que nos ajude nessa causa. O risco é real para nossas vidas também”, diz a postagem veiculadas nas redes sociais.

OUTRO LADO

Segundo a assesoria da Secretaria de Saúde do município de João Pessoa, a matéria prima para produzir o medicamento está em falta, por esse motivo não está sendo distribuído. Ainda segundo a assessoria, não é de responsabilidade da SMS a produção da medicação, mas apenas sua distribuição.

A gestão enviou uma nota para explicar o caso

NOTA

 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que o desabastecimento do medicamento Clexane (Enoxaparina Sódica) ocorreu devido ao aumento da demanda global, ocasionando, assim, restrições na quantidade importada e consequente oscilação na disponibilidade do produto no mercado.

 

O medicamento faz parte do elenco da Gerência de Medicamentos e Assistência Farmacêutica do município de João Pessoa (Gemaf), de forma complementar à Rename/Remume para atender às demandas de uso exclusivo da rede hospitalar e às gestantes de alto risco, regulada através de abertura de processo administrativo na SMS. O desabastecimento produto no mercado é nacional, atingindo consequentemente João Pessoa; fato este, justificado pelo laboratório SANOFI produtor do Clexane®, marca atualmente adquirida por esta secretaria.

 

Ainda, a fim de minimizar os prejuízos, a SMS sugere às usuárias do medicamento que procurem seus médicos para orientações sobre o tratamento e possibilidade de uso de outros medicamentos, uma vez que existem alternativas terapêuticas para tratar casos de trombofilia e, assim que a situação da matéria-prima do medicamento for normalizada e o reabastecimento do medicamento acontecer, a Secretaria voltará a dispensar o Clexane às suas usuárias.

 

 

CONFIRA O TEXTO DA POSTAGEM COMPARTILHADA

 

Bom dia!!! Venho fazer um apelo ao governo municipal, pois estamos necessitando com extrema urgência da medicação de princípio ativo ENOXAPARINA SÓDICA (entregue através do Instituto Cândida Vargas) para as gestantes que têm trombofilia!!! Há mais de 1 mês, a medicação não está sendo entregue!! É um tratamento muito sério e, sendo suspenso, colocamos a vida de nossos bebês em risco!!!

 

O tratamento é muito caro para nós, mães, que precisamos utilizar a medicação pelo menos uma vez ao dia, até meses após o nascimento de nossos bebês!

 

Por favor, peço que nos ajude com essa causa!

 

Inclusive, o risco fatal é para nós tb!!!

 

PB Agora

Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governador nomeia novo procurador-geral do Tribunal de Contas do Estado

O governador João Azevêdo (PSB) já escolheu o novo procurador-geral do Ministério Público de Contas do Tribunal de Contas do Estado e a indicação recai sobre o nome de Manoel…

Delegado Waldir recua e diz que irá ”pacificar” a bancada do PSL

Horas depois do vazamento de um áudio em que o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), ameaça “implodir” o presidente Jair Bolsonaro com a divulgação de informações comprometedoras,…