Por pbagora.com.br

VOLTAS DA POLÍTICA: deputado com filho nomeado no Governo rebate colega que já foi eleito ao lado de RC

A política na Paraíba segue sendo a arte dos possíveis. Hoje, integrando o campo das oposições, o deputado federal Manoel Júnior (PMDB), que já integrou os quadros do PSB da Paraíba, inclusive emplacando o cargo de vice-prefeito na chapa de Ricardo Coutinho (PSB), atualmente não poupa críticas ao ex-aliado, chegando até a acusá-lo de adotar um estilo desagregador.

Por outro lado, o deputado federal Damião Feliciano (PDT), que já chegou a ensaiar, em 2010, o apoio ao PMDB, decidindo pelo PSB apenas após alguns acordos, ou seja, , nos 45” do 2º tempo, hoje tem o filho nomeado com cargo no 1º escalão do Governo Ricardo Coutinho e defende ‘com unhas e dentes’ o jeito socialista de governar a Paraíba.

Para Manoel Júnior, Ricardo Coutinho não consegue alcançar bons índices de aprovação junto à população paraibana porque adota um estilo desagregador.
“Eu não acredito que um governador que não consegue no seu terceiro ano de mandato, nem sequer 30% das intenções de um desempenho bom, os resultados são sofríveis, entre ótimo e bom a situação é sofrível”, relatou.

Ainda conforme o ex-socialista, o governador não está indo bem nem na segurança, nem na saúde, nem na educação e tampouco junto ao funcionalismo público estadual.

Já para o deputado federal Damião Feliciano (PDT), quem critica Ricardo Coutinho é porque não o conhece de verdade.

“O governador é sensível, de bom trato, acho interessante essas criticas de quem não o conhece, que o conhece apenas à distancia não sabe como ele é, eu que conheço o governador de perto sei que ele é fácil diálogo, de fácil de discussão e acima de tudo sensível”, testemunhou.

De acordo com Feliciano, a maioria das críticas destinadas ao socialista se referem apenas a metodologia administrativa adotada com RC.
“Ele é uma pessoa afetiva, uma pessoa de dialogo, é um homem sensível, o problema que se discute é a filosofia e a ideologia administrativa, quando ele diz que prepara o estado para que a iniciativa privada se desenvolva, é pensando em emprego e renda, o Governo faz obras estruturantes, como Centro de Convenções, que atrai a iniciativa privada e não obras passageiras”, falou.

E completou: “Quando Ricardo dá a um ponto turístico, melhores estradas, saneamento, é pensando no desenvolvimento, na iniciativa privada, na geração de emprego e renda, então, dizer que Ricardo Coutinho é de difícil diálogo eu não concordo”, finalizou.
As declarações de Feliciano e Manoel Júnior foram veiculadas no programa Correio Debate, na 98 FM.

 


Márcia Dias

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Efraim quer proteger de impostos setores que empregam grande quantidade de trabalhadores

oco desta semana está na desoneração da folha de pagamentos de setores que empregam grande número de trabalhadores, lembra o líder Efraim Filho (PB). “Retomar uma política de não onerar…

Justiça volta a suspender eleições indiretas em Bayeux após imbróglio partidário

Não chegou a durar nem 24h a decisão sobre a realização das eleições indiretas na cidade de Bayeux. É que uma nova decisão judicial expedida na tarde desta terça-feira (11)…