Por pbagora.com.br

Mais uma vez a votação do título de cidadão pessoense a Jair Bolsonaro voltou à pauta e causou polêmica na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

Nesta quarta-feira (12), populares presentes na Câmara, tanto os que são contrários à honraria como aqueles que a aprovam realizaram uma verdadeira confusão, transformando a CMJP num verdadeiro palanque eleitoral.

Alguns vereadores a exemplo de Sandra Marrocos (PSB), Tibério Limeira (PSB), Marcos Henriques (PT), Léo Bezerra( PSB) que também são contrários a concessão do título decidiram quebrar o quorum e não participar da votação, com isso as pessoas reagiram com ainda mais veemência.

Vaias, palavras de ordem e uma completa confusão pôde ser observada.

O argumento da vereadora Sandra Marrocos é que uma pessoa considerada machista ,racista, homofóbica e misógina não merece tal título.

Não é a primeira vez que o título gera polêmica na Casa de Napoleão Laureano, no mês de agosto a votação foi para pauta e logo após retirada por conta das divergências em torno do título.

Após o tumulto, os vereadores da Câmara Municipal de João Pessoa aprovaram um voto de solidariedade ao candidato à presidência da República por conta do ataque com faca que sofreu no último fim de semana.

A apreciação da concessão do título foi adiada para esta quinta-feira (13).

Vídeo: Reprodução Facebook/Hacéldama Borba

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Conduta vedada para pré-candidatos começa a valer a partir deste sábado na PB

Começa a valer a partir do sábado (15), a proibição a agentes públicos de todo o Brasil da praticar diversas condutas devido às eleições municipais marcadas para o dia 15…

Patrocinadores cancelarão contratos se envolvidos na ‘Cartola’ voltarem ao Belo

Em 2018, foi deflagrada a ‘Operação Cartola’ na Paraíba. Além de entidades do futebol paraibano, a operação apura o envolvimento do ex-vice-presidente do Botafogo-PB, Breno Morais Almeida. Ele é acusado…