A Paraíba o tempo todo  |

Apenas 10% a 13% dos trabalhos do Eixo Norte foram concluídos

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

“O Consórcio Emsa–Siton, habilitado para concluir os trabalhos restantes das obras do Eixo-Norte da Transposição está trabalhando a passo de tartaruga e em marcha lenta e já poderia ter feito 2/3 da obra que restava. Até agora eles já podiam ter medido e executado mais de R$ 300 milhões e o que fizeram foi em torno de 10% a 13% do que deveria ter sido feito”, denunciou hoje o deputado estadual Jeová Campos.

 

O parlamentar está preocupado com essa situação, haja vista que a obra neste trecho já ficou parada quase um ano e essa morosidade significa mais atraso para a chegada das águas da Transposição no sertão paraibano. Segundo Jeová, essa forma lenta e morosa da construtora é muito preocupante.

 

“Neste aspecto, alerto a bancada federal da Paraíba, ou seja, os deputados e senadores, para ficarem em cima do Ministério da Integração a fim de pressionar para que essa obra seja, de fato, concluída, porque se não tivermos inverno regular este ano as pessoas vão passar sede e isso é muito grave”, lembra o deputado.

 

Segundo Jeová, o ministro Hélder Barbalho fez ontem uma reunião com o presidente do consórcio Emsa – Siton para cobrar celeridade e ficou acertado que a empresa vai aumentar o efetivo e rodar 24h para avançar com as obras. “A essa altura do campeonato, mudar a empresa atrasaria ainda mais a obra. Penso que foi uma decisão acertada do ministro”, reiterou Jeová, lembrando que em fevereiro vai propor a ALPB uma nova inspeção na obra para ver em que situação ela se encontra. O deputado lembrou ainda que o açude de Engenheiro Ávidos está seco, assim como o de Coremas e também o açude Epitácio Pessoa e que diante deste quadro, a população destas regiões não tem condições de esperar mais dois anos para receber as águas da transposição.

 

 

 

 

Redação

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe