A Paraíba o tempo todo  |

Ao PB Agora, Romero comenta números da Datavox e volta a admitir possibilidade de conversa com Lula

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Segundo colocado com 14% na pesquisa realizada pelo Instituto Datavox, e divulgada pelo PBAgora, o ex-prefeito de Campina Grande e pré-candidato ao governo do Estado em 2022, Romero Rodrigues (PSD), afirmou que os números o deixam motivados para seguir em frente na busca por consolidar a sua candidatura.

Romero disse que os dados da pesquisa do Datavox são motivo de estímulo. Ele observou que, mesmo o pleito eleitoral ainda estando distante, e que o cenário poderá sofrer alterações, é sempre bom largar bem na corrida sucessória. Ele lembrou que quando foi candidato a prefeito de Campina Grande pela primeira vez, o seu nome estava com percentual inferior aos 14% do Datavox, e mesmo assim, ganhou as eleições.

O ex-prefeito observou que muitos paraibanos não o conhecem pessoalmente, e que ouviram falar em seu nome graças ao trabalho realizado na prefeitura de Campina Grande.

“É motivo de alegria saber que muitos paraibanos que não me conhecem pessoalmente, lembraram do meu nome. Isso é um estímulo para seguir adiante com o nosso projeto” disse.

Bolsonarista confesso, Romero admitiu a possibilidade de abrir conversações com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). No entanto, deixou claro que uma eventual conversa, não significaria apoio ao petista.

“Estamos abertos a conversar com quem quer que seja, isso não significa dizer que vamos seguir ou apoiar. Não sou brigado com quem quer que seja”, disse o ex-prefeito.

Além das articulações com lideranças do Estado, Romero, que também já esteve no “ninho tucano” antes de migrar para o partido de Gilberto Kassab, garantiu que está trabalhando para reunir no mesmo palanque políticos contrários e favoráveis à reeleição do presidente da República, Jair Bolsonaro. Ele não acredita que a sua posição em defesa da reeleição do presidente, atrapalhe as composições com os partidos contrários à onda bolsonarista, a exemplo do PSD de Pedro Cunha Lima.

“Naturalmente que tenho o meu candidato preferido a presidente, mas isso não vai atrapalhar. Ainda é cedo para aprofundarmos esse debate. A gente tem que ser consciente, e as pessoas também, precisam se conscientizar que eu tenho uma amizade com o presidente, e pretendo em 2022, apoiar a sua reeleição. Se tiver outro candidato, eu não posso discriminar”, disse.

Ele enfatizou que o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, tem conversado com os presidentes de todas as legendas.

“Na política, embora eu deixe claro que não falo em questão de apoio, é muita arrogância e presunção se negar a conversar”.

O ex-prefeito destacou ainda a sua vontade de ser governador da Paraíba e observou que um governador não pode estar brigando com qualquer presidente da República.

“Se eu for governador e, eventualmente, Lula for presidente, eu vou bater na porta dele e pedir pela Paraíba, se Bolsonaro for reeleito da mesma forma. Não podemos ficar pensando nessa polarização radical, porque só traz atraso e sequelas para a população, e estou fora disso”, ponderou.

Presidente do PSD no Estado, Romero Rodrigues, revelou que está firme, percorrendo a Paraíba na busca de apoios de lideranças políticas para fortalecer e consolidar o seu projeto político de disputar o Palácio da Redenção nas eleições que se avizinham.

Sem mandato, desde que deixou a prefeitura de Campina Grande, Romero disse que não tem perdido tempo, mas está com “os pés na estrada”, procurado conversar com prefeitos, ex prefeitos, parlamentares e outras lideranças, sempre no intuito de para buscar adesões e mostrar as propostas que pretende apresentar aos paraibanos no momento propício da campanha eleitoral.

“Naturalmente, todos os dias eu estou procurando conversar com as lideranças da Paraíba. Tenho recebido e conversado com prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, e ouvido o que eles pensam. E naturalmente, argumentar, para tentar ver se conseguimos convencê-los a somar conosco no projeto de 2022”, revelou.

Romero também agradeceu ao deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), que desistiu de disputar o Governo do Estado, para ceder espaço na cabeça da futura chapa majoritária, ao ex-prefeito de Campina Grande. Ele classificou como nobre o gesto de Pedro e do ex-senador Cássio Cunha Lima e demais tucanos como o deputado Ruy Carneiro.

“Eu recebo com alegria esse anúncio de Pedro. Gratidão a Pedro, a Cássio, a Ruy e a Edna. Aos deputados estaduais, Tovar e Camila e aos prefeitos e vice- prefeitos do partido. É uma responsabilidade grande essa pré candidatura. E nós vamos construir esse projeto conversando com todos. Não se faz projeto só e isolado. Vamos continuar debatendo internamente” agradeceu.

Segundo ele, as articulações com outras legendas estão adiantadas, inclusive, com o PP do deputado Aguinaldo Ribeiro e da senadora Daniella Ribeiro.

“Ainda é muito cedo para falarmos em cargos na chapa majoritária. Afinal, falta mais de um ano para as convenções. Nós teremos um cenário diferente de 2021 para 2022. O que nós estamos fazendo é ouvir as opiniões, e tentar reunir apoios” destacou.

Desafios

Como opositor ao governo de João Azevêdo (Cidadania), Romero disse que a Paraíba hoje enfrenta grandes desafios e precisa de diversas ações para melhorar a qualidade de vida da população. Ele garantiu que conhece bem a Paraíba e as potencialidades de cada região, e por isso, está fazendo um estudo para ser apresentado no momento oportuno, como alternativas para impulsionar a economia do Estado.

“Naturalmente, investir nas potencialidades de cada região é fundamental. Precisamos aproveitar o que cada região tem de bom para estimular e motivar os paraibanos. Percebemos carências em algumas áreas de saúde, como a ausência de uma estrutura de traumatologia no Sertão paraibano “, adiantou.

Ele também destacou que a Paraíba precisa de investimentos no agronegócio no Cariri e Sertão, além de universalizar a distribuição de água para os municípios que ainda sofrem com a escassez dos recursos hídricos.

“Tem muita coisa que está dentro do nosso radar, como ações no setor de segurança”, observou.

Conflito

Romero também adiantou que pretende resolver de vez o conflito que surgiu no PSD, após o vice-presidente do partido, o deputado Manoel Ludgério, sinalizar com a possibilidade de sua base política apoiar a reeleição do governador João Azevêdo.

Em relação a pandemia da Covid-19, Romero disse que a crise sanitária tem deixado marcas doloridas nos brasileiros, especialmente nos paraibanos. Ele disse que o próximo governo da Paraíba precisa apresentar o plano pós pandemia, para que o Estado recupere o desenvolvimento.

“Precisamos que exista uma sintonia perfeita, entre o governo federal, o governo do Estado, e os municípios para permitir que a gente possa permitir esse momento bom da distribuição de vacina. O Ministro Marcelo Queiroga tem tido um papel importante nesse processo “, destacou.

Severino Lopes
PB Agora

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      9
      Compartilhe