Por pbagora.com.br

Após a publicação da segunda despesa estadual dando conta do empate técnico entre o prefeito da Capital e o governo do Estado em 2010 o ex-vereador Aníbal Marcolino (PSL) disse discordar dos números.

Conforme o liberal, em andanças pelo interior do Estado, ele pode constatar que em um segundo turno, o governador José Maranhão (PMDB) e o senador Cícero Lucena (PSDB) disputariam a vaga ao governo do Estado, e em contrapartida, o prefeito da Capital abarcaria apenas a terceira posição, alcançando um percentual de 13%.

“Não estou querendo discordar da pesquisa, só acredito que os números não batem com a realidade”, falou.

Segundo Aníbal, o nome do prefeito Ricardo Coutinho só aparece nas pesquisas pelo fato de algumas lideranças alimentarem a união entre Cássio e Ricardo.

Aníbal ressalta que o fato de dizer que o socialista esta junto ou próximo de Cássio dá visibilidade e por isso Ricardo aparece em algumas pesquisas.
 

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Efraim já contabiliza apoio de 83 prefeitos paraibanos na corrida para o Senado

O deputado federal Efraim Filho (DEM) recebeu o apoio de mais três prefeitos engajados no seu projeto de eleição para o Senado Federal nas eleições de 2022, contabilizando agora a…

Bruno defende volta de Cássio à cena política: “Tem importância e grandeza”

Bruno Cunha Lima (PSD), prefeito de Campina Grande, defendeu, durante entrevista nesta quinta-feira (13), que o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) seja candidato nas eleições do ano seguinte. Ele cogita,…