Por pbagora.com.br

O “Samba de uma Nota Só” continua a vir do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Novamente ele vai definir o passo e o compasso dos aliados e oposição no tocante às estratégias e alianças políticas a serem firmadas objetivando as eleições para prefeito em 2020, especialmente em João Pessoa.

É de conhecimento público que o socialista administrou João Pessoa entre 2004 e 2010, o que lhe conferiu uma base sólida no tocante ao eleitorado da Capital paraibana. Por ter realizado uma boa gestão, Ricardo Coutinho desponta como favorito na disputa do próximo pleito.

O próprio governador João Azevêdo, da mesma sigla partidária do seu antecessor, expressou o desejo pessoal, que pode ser lido como uma extensão do PSB, em ter Ricardo Coutinho como candidato a prefeito de João Pessoa.

A sintonia foi aprimorada entre as duas lideranças, especialmente após a plenária do Orçamento Democrático Estadual, realizada no início deste mês, no Espaço Cultural, na Capital.

Até aquele avento, rumores de uma possível ruptura entre os socialistas figuravam no imaginário oposicionista, fato que acabou não acontecendo. E diferente do que ocorreu em 2018, quando Ricardo Coutinho estava à frente do Executivo estadual, havendo a possibilidade de abdicar do cargo para disputar uma cadeira no Senado, o ex-governador está livre para decidir o que fará em 2020, uma vez que não ocupa cargo eletivo.

E para deixar ainda mais confusa as estratégias dos adversários em relação ao próximo pleito, espacialmente o grupo do prefeito da Capital, Luciano Cartaxo (PV), o deputado estadual Wilson Filho (PTB), em entrevista à imprensa na manhã desta sexta-feira, deixou claro que a sigla a qual é filiado irá cerrar fileira com o socialista numa eventual postulação.

Na prática, Wilson Filho desautorizou seu companheiro de agremiação partidária, Milanez Neto, que é líder do governo Cartaxo na Câmara Municipal de João Pessoa, em fechar qualquer acordo que fuja do alinhamento estadual petebista com Ricardo Coutinho.

Como se vê, o “Samba de uma Nota Só”, eternizado na voz do maestro Tom Jobim, vem balançando o cenário político na Paraíba desde as últimas eleições, e continuará até uma decisão de Ricardo Coutinho no que diz respeito ao pleito do próximo ano.

Enquanto isso seus aliados e, principalmente, a oposição têm muito pouco a fazer; a não ser observar e esperar. A regra é dançar conforme a música que está sendo executada, mas sem movimentos bruscos.

 

Eliabe Castor
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Jurídico do PT vai recorrer de pedido do MPE contra candidatura de Anísio

Em razão do pedido realizado pelo promotor eleitoral, Alexandre Varandas Paiva, feito à Justiça Eleitoral, o representante jurídico da Coligação PT e PCdoB ‘Unidos por João Pessoa’, Anselmo Castilho, afirma…

Veneziano lembra Dia Nacional dos Deficientes Auditivos e destaca ampliação de medidas de acessibilidade

O Dia Nacional dos Surdos é comemorado no dia 26 de setembro e o senador licenciado Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) fez referência à data, ao lembrar que todos os…