A Paraíba o tempo todo  |

Análise – Prefeito de Pombal agiu exemplarmente. Errados estão os que negam a ciência e a vacina

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Nos últimos dois dias, a hipocrisia pautou uma discussão idiota estimulada por uma onda odienta contra o prefeito da maravilhosa cidade de Pombal, Abmael de Sousa Lacerda, o Doutor Verissinho (MDB).

Pasmem! Neste Brasil de agora, em que a truculência, a ignorância e o negacionismo da Ciência tomam conta, o “crime hediondo” que o prefeito praticou foi: vacinar-se primeiro, para tranquilizar seus munícipes bombardeados por informações falsas e, portanto, tomados de dúvidas, sobre a eficácia da vacina.

Resultado: quase toda a imprensa, autoridades e até o Conselho Regional de Medicina estão caindo de pau em cima de Doutor Verissinho, pelo seu gesto exemplar e de reconhecimento da vacina como o melhor remédio possível, até agora, contra o coronavírus.

Apenas ele

Convenhamos: se o prefeito estivesse transgredindo normas e se antecipando a algo para se locupletar de alguma coisa, a crítica teria cabimento; ou se, além dele, fossem beneficiados seus parentes e amigos.

Mas ter um gesto capaz de dirimir dúvidas dos seus munícipes sobre tomar a vacina, ou não, simboliza uma atitude de grandeza, que deveria ter sido tomada por todo gestor preocupado com a saúde do seu povo.

O prefeito contrariou normas? Quais normas, aquelas que flexibilizaram a pandemia e possibilitaram uma segunda e violentíssima onda de contaminação, doença e mortes?
Errados estão aqueles que se recusam a tomar a vacina; os adeptos do negacionismo à Ciência, patrocinadores da ignorância e que pouco estão se lixando para a saúde dos demais.

Errado está o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e seus puxa-sacos instalados nos gabinetes de Brasília, que se empenharam ao máximo na tentativa de boicotar a vacina e promover a cloroquina e outras substâncias químicas que só médicos burros são capazes de prescrever para seus pacientes.

O mais curioso é que algumas das vozes contra o prefeito não levantaram um “ai” contra a onda negacionista da Ciência. O Conselho Regional de Medicina, se porventura se manifestou contra tamanha ignorância, provavelmente não teve a divulgação necessária e, pelo menos nós não vimos.

Governador e prefeito

Na esteira dessa onda negacionista, também soaram algumas críticas ao governador João Azevêdo e ao prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, de estarem fazendo marketing pessoal sobre a vacinação.

Outra idiotice: João e Cícero fizeram pouco. Deveriam ter feito o que fizeram e ainda seguido o exemplo do Doutor Verissinho, prefeito de Pombal, para dar exemplo e segurança aos seus governados receosos e em dúvidas com a ciência por causa dos Bolsonaros da vida.

João e Cícero estão certíssimos. Deviam ter feito um verdadeiro carnaval (sem aglomeração) para comemorar com seus governados a chegada das vacinas.

Entendemos que, para completar a acertada dos seus procedimentos inerentes à vacinação, faltou a João Azevêdo e Cícero Lucena serem, senão os primeiros a se vacinarem, pelo menos os segundos.

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      85
      Compartilhe