Se porventura o ministro Sérgio Moro, da Justiça, veio à Paraíba pensando em (também) causar influência sobre o julgamento do habeas corpus da PGR contra o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), conforme se aventou nas rodas políticas locais, de nada adiantou. Tempo perdido.

Quando tudo estava pronto para a “grande festa” de comemoração pelo possível retorno do ex-governador Ricardo Coutinho à prisão, eis que na tarde desta terça-feira (18), em votação muito rápida, a sexta turma do Superior Tribunal de Justiça, pelo largo placar de 4 a 1 decidiu que Coutinho continuará em liberdade.

Não deixa de ser uma vitória considerável do ex-governador, que realizou um dos mais promissores governos que a Paraíba já viu, mas sobre quem também recai a grave acusação de comandar uma Orcrim que teria assaltado o erário ao longo de oito anos de mandato.

A propósito, na sessão do STJ de hoje, a maioria dos ministros alegaram que o decreto de prisão contra Ricardo Coutinho, datado de dezembro passado, nem demonstra, com o mínimo de clareza como o ex-governador poderia participar do suposto esquema criminoso, sobretudo agora que não tem mais o poder nem a caneta de governador do Estado.

A Ricardo Coutinho, conforme a decisão do STJ, foram impostas medidas cautelares, como apresentar-se periodicamente à Justiça, não se ausentar da Comarca e não ter qualquer nível de contato com os demais acusados de participar do suposto esquema criminoso, com exceção o seu irmão, Coriolano Coutinho.

Politicando
Além da ducha gelada sobre a expectativa dos seus opositores, com esta decisão do STJ Ricardo Coutinho recobra os ânimos, restaura o fôlego para eventuais articulações políticas de bastidores e volta a “assombrar” adversários.

Neste cenário deplorável de carência absoluta de lideranças políticas, em que todo cacareco se acha com cacife suficiente para disputar os cargos mais relevantes, um RC solto é sempre motivo de sobressaltos para os adversários.

Podemos
A vice-presidente estadual do Podemos na Paraíba e presidente do Podemos/Mulheres, Ana Claudia Vital do Rêgo, em conversa com a coluna nesta terça-feira, disse que está empenhada no fortalecimento do partido. A meta é ter representação no maior número possível de municípios.
Ana Cláudia foi perguntada se o marido, o senador Veneziano Vital, também ingressaria no Podemos.
Não respondeu…

 

Wellington Farias
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Disputa em CG: enquete aponta Ana Cláudia na dianteira da corrida eleitoral

Assim como fez com relação à disputa eleitoral em João Pessoa, o programa Arapuan Verdade, realizou nesta sexta-feira (10) um enquete onde quis saber a intenção de voto do eleitor…

Vereador cobra revisão participativa no Plano Diretor de Campina Grande

O vereador Olimpio Oliveira conseguiu na última terça-feira (07), na Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG), a aprovação do requerimento n° 1.170/2020 que requer a formalização do processo de reforma…