Essa pergunta incomoda seus aliados, e alegra outros que não comungam com ações e postura política adotadas pelo socialista no passado. E muito além da indagação, a situação do ex-governador é delicada, havendo a possibilidade de ser agravada caso confirmada as acusações que pesam contra ele. Não é preciso ser um jurista para entender que a pena será extensa, um ferimento de morte para suas aspirações futuras enquanto pessoa pública e um declínio como cidadão.

Além de ser o fim da linha para Coutinho enquanto paladino da moralidade, a esquerda da Paraíba, principalmente o PSB, agremiação a qual o ex-governador é filiado, ficará sem um “norte magnético” por um considerável tempo, havendo a chance concreta de antigas oligarquias políticas retornarem ao poder. Porém, existe a figura do governador João Azevêdo (sem partido) que pode estancar esse retorno.

O fato é que dizer com a mais pura convicção que o “Jardim Girassol” foi por completo atingido pela Operação Calvário, sendo impossível a redenção de alguns é algo precipitado, pois haverá o direito da ampla defesa dos citados. No entanto, mesmo havendo a absolvição do próprio Ricardo Coutinho, sua imagem já foi desgastada, não havendo a possibilidade de ser ele o líder político que um dia foi.

E nesse compasso ou descompasso, todas as atenções estão sobre a figura da ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Está em suas mãos o recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR) que pede a revisão do habeas corpus que livrou da prisão de Coutinho.

Ele foi solto no dia 21 de dezembro após a concessão de habeas corpus feita pelo ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do (STJ), fato que gerou muita controvérsia jurídica e crítica dos seus próprios colegas.

Faltaram nomes na coluna de ontem

A coluna de ontem citou vários pré-candidatos a prefeito de João Pessoa. Contudo, por um lapso esqueceu de citar os nomes dos deputados federais Gervásio Filho (PSB) e Ruy Carneiro (PSDB). Ainda na lista figura o deputado estadual Felipe Leitão (DEM), mas que deve migrar para o Avante e o PC do B, que ainda não definiu seu postulante.

Eliabe Castor
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Lei de Wilson Filho garante acolhimento a vítimas de violência doméstica na pandemia

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou o Projeto de Lei 1.876, de autoria do deputado estadual Wilson Filho (PTB), que garante o acolhimento em alojamento para vítimas de violência…

ALPB realiza doação de R$ 2 milhões ao Estado para enfrentamento ao coronavírus

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) repassou, nesta quarta-feira (8), R$ 2 milhões para as secretarias estaduais de Desenvolvimento Humano e de Educação, Ciência e Tecnologia para serem aplicados no…