Por Wellington Farias

Um dos maiores desafios que o prefeito eleito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), terá ao longo dos seus primeiros quatro anos de gestão será precaver-se contra a corrupção.

Primeiro porque depois daquele demorado período de bombardeio e acusações que lhe levaram até a uma prisão – injusta, a considerar que a Justiça o declarou inocente, eventuais ocorrências de corrupção na sua futura gestão seriam extremamente desgastante para o novo prefeito, além do fato de, por si só, produzir no consciente coletivo do pessoense a ideia de que as acusações do passado teriam lá seus fundamentos.

Segundo, o maior desafio de Cícero nesse campo minado certamente é combater com total sucesso atos de corrupção, sobretudo, levando-se em conta a estrutura da administração pública eivada de vícios jamais superados em João Pessoa, no Brasil e em qualquer lugar.

Equipe
Diante de tais circunstâncias, é razoável supor que o prefeito eleito Cícero Lucena, para não passar mais vexames sob acusação de corrupção, deve adotar como critério inarredável de escolha de seus assessores a exigência de ficha limpa, conduta ilibada e caráter acima de qualquer suspeita.

Tudo bem que Cícero Lucena terá que governar em regime de coalizão, contemplando os aliados com cargos na gestão pública, mas nada disso impede que os indicados pelos partidos e lideranças aliadas sejam submetidos ao rigoroso crivo da anticorrupção.

Melhor gestão
Ao longo de sua trajetória de campanha, o prefeito eleito de João Pessoa reiteradas vezes manifestou o desejo de realizar a melhor gestão de sua vida, no caso, a terceira na Prefeitura de João Pessoa, já que ele foi prefeito em outras duas ocasiões.

Até por isso, Cícero Lucena terá que graduar a lupa e triplicar a vigilância sobre a sua própria gestão para que, mais cedo ou mais tarde, não tenha que pagar pela corrupção dos outros. Afinal, ele será o comandante maior da administração da Capital e responderá não só pelo que acontecer de bom, mas como de ruim também.

Comunicação
Dizem nos bastidores da política que já se trava uma verdadeira disputa pelo cobiçado cargo de secretário de Comunicação da Prefeitura de João Pessoa para a próxima gestão.

Verdade ou não a existência dessa disputa, este é um setor em que Cícero Lucena precisa ser rigoroso na escolha daquele que entre outras atribuições está a de divulgar bem os feitos de sua futura gestão. Não é tarefa para qualquer um, tampouco para figuras que nem sempre compreendem o seu papel primordial de divulgar as ações da administração.

Muito menos é tarefa para o tipo bastante comum que acha que a função do secretário de Comunicação é construir barreiras entre o prefeito, a gestão e os jornalistas.
Menos ainda é tarefa para outro tipo ainda mais comum entre nós, que se acha mais importante do que a sua missão, a administração pública e de que o próprio governante.

Por Wellington Farias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Notícias relacionadas

Morre vítima da covid-19, Ivanes Lacerda, ex-prefeito interino de Patos

Faleceu na tarde desta segunda-feira (25), o ex-prefeito interino de Patos Ivanes Lacerda, 74 anos. O político não resistiu as complicações causadas pela covid-19. Lacerda estava internado em hospital particular…