Análise: Azevêdo ‘dribla’ assédio do Podemos e envia emissários para solicitar calma a aliados que disputarão eleições de 2020

A grande dúvida que paira sobre a cabeça de muitos, em especial àqueles que disputarão as eleições municipais do próximo ano, está na seguinte pergunta: mais afinal, para qual sigla partidária o governador João Azevêdo (PSB) migrará? A resposta concreta talvez não esteja pronta na própria mente do chefe do Executivo da Paraíba, mas ele já deu indícios.

Buscará uma agremiação que esteja alinhada ao projeto político que o próprio PSB implantou na “Terra dos Tabajara e Potiguara”. Em termos lógicos, algo ligado à esquerda ou centro-esquerda. De pronto, PSDB, DEM e PV já estão descartados, embora o Democratas esteja associado à sua gestão. Aliás, bem antes. Do tempo que o donatário da caneta era Ricardo Coutinho, principal liderança do PSB na Paraíba.

E nessas idas e vindas, surge o Podemos na linha divisória das incertezas, buscando atrair Azevêdo para suas hostes. O senador e ex-candidato a presidente da República Álvaro Dias, do Paraná; o vereador de Campina Grande e presidente estadual da sigla, Galego do Leite, e até a presidente nacional da agremiação, Renata Abreu vem buscando atrair o governador para uma possível filiação.

Na torcida ainda é possível encontrar a esposa do senador Veneziano Vital do Rego (PSB), Ana Cláudia, esta filiada à legenda na condição de vice-presidente estadual da sigla e como pré-candidata a prefeita de Campina Grande.

O próprio senador socialista, que está prestes a deixar a sigla, torce para que Azevêdo opte pelo Podemos, chegando à legenda como “general”.

E assédio e fotos já estão formalizados. O Podemos quer e deseja o governador. O que é natural, pois se assim acontecer, o partido terá um crescimento político imenso. Contudo, sempre ponderado, Azevêdo não se move do Palácio da Redenção, e com sabedoria, envia emissários, no bom sentido da palavra, para solicitar calma, pois o desfecho do folhetim está próximo, cujo capítulo final não ultrapassará a primeira quinzena de dezembro.

E o último a pedir calma aos aliados do governador foi o experiente deputado estadual Hervázio Bezerra (PSB), que, licenciado, ocupa a pasta de Esporte e Lazer. O socialista, que também desembarcará da sua atual agremiação, acompanhando Azevêdo, pediu paciência para os que serão postulantes a cargos eletivos em 2020.

E no resumo da ópera, o que se pode notar é: ‘namorar’ com o governador é lícito, mas no final será o próprio João Azevêdo que escolherá a “esposa”, firmando, assim, um pacto nupcial que renderá “filhos” e poder político para a escolhida. E a prole promete ser imensa.

Eliabe Castor
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Não tenho ganância pelo poder” diz secretário de Saúde sobre disputar PMCG

Apesar de ter seu nome cogitado como uma das opções do grupo do governador João Azevêdo, para a disputa pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, o secretário de Estado da…

Democratas lança pré-candidatura de Raoni Mendes à Prefeitura da Capital

O Democratas lançou, na manhã desta terça-feira (28), a pré-candidatura de Raoni Mendes, para disputar a Prefeitura de João Pessoa, nas eleições deste ano. O lançamento aconteceu em casa de…