Por pbagora.com.br

A pré-candidata à Prefeitura de Campina Grande e ex-secretária de Desenvolvimento e Articulação dos Municípios (Sedam), Ana Cláudia Vital do Rêgo (PODEMOS), reafirmou durante entrevista que Campina Grande precisa de uma gestão inteligente, que pense na cidade pós pandemia. Ela ressaltou que a população espera por uma gestão eficiente, capaz de dar respostas urgentes aos grandes problemas que a cidade enfrenta.

Campina Grande, segundo Ana, terá muitos desafios a partir de janeiro de 2021, como criar alternativas para alavancar a economia da cidade, afetada pela pandemia. Para Ana, a futura gestão precisa apresentar políticas públicas que resgatem a economia com foco na geração de emprego, através das agências de fomento. Nesse sentido, ela defendeu a reestruturação Agência Municipal de Desenvolvimento (AMDE).

Ana disse que, para alcançar este objetivo, a futura gestão precisa ter capacidade de articulação para buscar parcerias com o governo do Estado e com o governo federal. “Precisamos de alguém que possa apresentar a nossa cidade como um novo modelo de gestão, com transparência pública. Precisamos modernizar a gestão com a informatização dos serviços burocráticos”. Ela também defendeu políticas públicas que garantam a segurança alimentar da população, com a volta dos restaurantes e cozinhas comunitárias, todos fechados pela gestão atual.

Reativação do Terminal de Integração – No campo da mobilidade urbana, Ana Cláudia reafirmou que é a favor da reativação do Terminal de Integração de Passageiros e a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). “Precisamos pensar em uma Campina Grande moderna, sustentável, onde se utilizem as energias renováveis”.

A pré-candidata enfatizou que o momento é de reorganizar e planejar a cidade, construindo um programa com a sociedade-civil organizada, que discuta e aponte soluções para o município, dentre as quais a formulação de um calendário de retomada das obras paralisadas, identificando recursos para a conclusão dessas obras.

Ana Cláudia lembrou que o atual prefeito abandonou obras da gestão anterior, fechou o Terminal de Integração, acabou com a Vila Olímpica Plinio Lemos, além de ter deixado de lado as obras iniciadas na gestão passada que não foram continuadas, a exemplo de creches e da segunda Vila Olímpica.

Ela lembrou ainda o abandono da atual gestão para obras como a do Canal da Ramadinha, Canal do Bodocongó e Canal da Santa Rosa, além daas obras de creches paradas desde o começo de 2013 e da revitalização da Feira Central.

“Campina precisa de uma gestão que escute e observe as maiores demandas da cidade e que, conjuntamente, busque as parcerias necessárias para a realização destas demandas, sem deixar obras paralisadas por terem sido iniciadas por adversários”, finalizou Ana.

Assessoria de comunicação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy anuncia plano para transformar mercados em polos gastronômicos e turísticos

Determinado a promover a retomada do crescimento econômico de João Pessoa, o pré-candidato a prefeito Ruy Carneiro anunciou neste sábado uma série de ações para reconfigurar os mercados públicos da…

Tecnologia: Cícero afirma que pessoense terá “prefeitura na palma da mão”

Os serviços públicos precisam ser eficientes e devem estar sempre acessíveis para a população. É com esta certeza que o candidato do Progressistas à Prefeitura da capital, Cícero Lucena, lançou…