Por pbagora.com.br
Foto: Assessoria

A Secretária Estadual de Desenvolvimento e Articulação Municipal da Paraíba, Ana Cláudia Vital do Rêgo, parabenizou e, ao mesmo tempo, destacou a sensibilidade do governador João Azevêdo que anunciou, nesta terça-feira (13), durante entrevista, a distribuição de mil refeições diárias para pessoas em situação de rua na cidade.

Na semana passada Ana havia cobrado da Prefeitura de Campina Grande a reativação dos restaurantes populares e cozinhas comunitárias da cidade, desativadas no início da gestão do ex-prefeito Romero Rodrigues, há mais de 8 anos. Segundo ela, diferente do governador, que amplia os serviços sociais do Governo na cidade, a PMCG continua insensível ao sofrimento dos que mais precisam, sobretudo agora, durante a pandemia.

Ana Cláudia lembrou que a ação do Governo do Estado será iniciada na próxima segunda-feira (19), em assistência às pessoas em situação de rua, e permitirá a distribuição diária de 300 cafés da manhã, 400 almoços e 300 jantares. Na cidade, o Governo da Paraíba já disponibiliza 1.500 refeições diárias no Restaurante Popular, além de promover a entrega de cestas básicas para as famílias que mais precisam.

Nova Cobrança – Ao parabenizar o Governo do Estado pela iniciativa, Ana Cláudia voltou a cobrar da Prefeitura de Campina Grande a reabertura dos restaurantes populares e das cozinhas comunitárias o que, na sua opinião, é mais que urgente, neste momento de pandemia. Ela disse que não se justifica a atual gestão municipal já estar em seu quarto mês de mandato, de um governo de continuidade, em meio a uma pandemia que se arrasta desde o ano passado e que prejudica, sobretudo, as pessoas mais carentes, e a Prefeitura, até hoje, não ter tomado nenhuma providência para reabrir os restaurantes e as cozinhas, o que contribuiria para a alimentação da população.

Ana lembrou que após a desativação dos restaurantes populares que funcionavam na cidade – no centro e no distrito dos mecânicos – e das 9 cozinhas comunitárias, nos distritos de São José da Mata e Galante, além dos bairros José Pinheiro, Malvinas, Bodocongó, Liberdade, Pedregal, Jeremias e Catingueira, a população passou a ter menos possibilidades de acesso a alimentação de qualidade a preços baixos.

“É louvável a atitude do governador João Azevêdo, que mostra sensibilidade para com o sofrimento da população, sobretudo a mais carente, neste momento crítico de pandemia. Mas é impressionante como a Prefeitura não demonstra qualquer movimento em favor da reabertura dos restaurantes e das cozinhas. O momento é delicado, a renda da população diminuiu, o auxílio emergencial voltou com um valor que não garante uma condição digna de alimentação para as famílias. Então, está mais que na hora de a Prefeitura tomar uma providência com relação aos restaurantes e às cozinhas”.

A secretária ainda destacou as obras de mobilidade urbana do Governo do Estado em andamento na Rainha da Borborema, bem como as ações de enfrentamento à Covid-19 e a permanência do atendimento no Hospital de Clínicas no município após a pandemia, que passará a funcionar como maternidade e para realização de cirurgias eletivas.

 

Assessoria de Imprensa

Notícias relacionadas

Opinião: a direitona busca mesmo é um candidato para chamar de “centro”

Lula e Bolsonaro não são, necessariamente, opostos. Pelo menos opostos na mesma proporção, não! Bolsonaro é de extrema-direita, reacionário. Lula é de centro-esquerda e progressista. Bolsonaro rechaça o diálogo; é…

“Sem noção”, diz deputado paraibano sobre Bolsonaro chamar quem fica em casa de ‘idiota’

A afirmação do presidente Jair Bolsonaro em conversa com apoiadores na manhã desta segunda-feira (17) repercutiu muito mal porque ele chamou de ‘idiotas’ as pessoas que durante a pandemia ficaram…