Por pbagora.com.br

Alvo de nova denúncia do Ministério Público, no âmbito da Operação Calvário, dessa vez acusada de receber a quantia de R$ 100 mil a título de suposta antecipação de propina, no ano de 2016, a prefeita de Conde, Márcia Lucena (PSB) postou vídeo nas redes sociais para falar sobre o tema, todavia, com desvio do foco da denúncia. Em vez de rebater os pontos da acusação, Márcia preferiu se ater a um suposto equívoco da denúncia que aponta uma professora da cidade entre os supostos envolvidos.

Márcia disse a professora foi arrastada para um espaço que não tem nada a ver e em breve o equívoco poderá ser esclarecido, visto que, no Conde, todos sabem que a mulher citada é pedagoga e pequena comerciante.

Já a prefeita, tem que explicar sim muita coisa e não pode colar na imagem da educadora condense. Ao dizer que também foi arrastada para um espaço que não é seu, Márcia não explicou a gravação da conversa entre ela, Daniel Gomes, seu esposo e Livânia Farias. Assim como não mencionou os indícios a acusação de que um automóvel que usara seria parte da propina.

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Sexta a gente escolhe o nome e anuncia. De sexta não passa”, avisa Romero sobre sucessão em Campina Grande

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, garante que ainda não escolheu o nome que irá apoiar na disputa pela sua sucessão na Prefeitura de Campina Grande. Em entrevista concedida…

Efraim quer proteger de impostos setores que empregam grande quantidade de trabalhadores

oco desta semana está na desoneração da folha de pagamentos de setores que empregam grande número de trabalhadores, lembra o líder Efraim Filho (PB). “Retomar uma política de não onerar…