Comissão apontou o descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal para barrar a proposta de aumento
 

 

Os deputados estaduais devem apreciar hoje a matéria de autoria do Poder Judiciário que dispõe sobre a Lei de Organização e Divisão Judiciária do Estado da Paraíba (Loje). O texto foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia Legislativa na reunião de ontem e seguiu para votação no Plenário da Casa. Na mesma reunião, o presidente da CCJ, Zenóbio Toscano, vetou projeto de lei do Executivo Estadual que trata do reajuste dos defensores públicos.

Zenóbio Toscano ressaltou que a Loje, enviada pelo TJ, foi amplamente discutida por todas as partes interessadas Foto: Fabyana Mota/ON/D.A Press
Segundo o deputado, o governo não poderia ter concedido o benefício por ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). "Desde o dia 1º de julho, o governador Maranhão está impedido legalmente de conceder aumento a qualquer servidor público estadual, sob pena de ser punido com reclusão de um a quatro anos", informou. O parecer do relator, pela inconstitucionalidade, foi questionado pelos deputados da base governista e acabou tendo a discussão adiada para a próxima semana, após pedido de vistas dodeputado Pedro Medeiros (PSDB). "Acretido que na próxima semana a matéria pode ser votada em plenário", opinou Zenóbio.

O aumento aos defensores consta no Projeto de Lei de Nº 1.843/2010, de autoria do Executivo, que fixa o pagamento do subsídio referente ao desempenho das funções em presídio aos defensores públicos do Estado da Paraíba. Caso seja aprovado em plenário, o salário da categoria pode ser acrescido em percentuais que variam entre 10% a 15%. Além do incremento salarial, a propositura prevê outros benefícios para os defensores públicos a exemplo do auxílio alimentação, auxílio saúde e reembolso da anuidade junto à OAB-PB.

Já sobre a Loje, encaminha pelo Judiciário e aprovada pela CCJ, Zenóbio Toscano defendeu que o projeto teria sido "amplamente discutido e debatido pelo Tribunal de Justiça da Paraíba". "Foram ouvidos todos os segmentos interessados. Não só os servidores, mas também a própria OAB-PB, a Associação dos Magistrados e o Ministério Público. Enfim, todos aqueles que poderiam contribuir para aprimorar o projeto", disse. O parlamentar afirmou também que espera votação da matéria nesta quarta-feira e a aprovação do texto.

Ainda durante a reunião da CCJ, o deputado Branco Mendes (DEM) solicitou a inclusão na pauta da comissão do projeto de lei de sua autoria que trata do processo de transição entre governos. Os deputados Zenóbio e Carlos Batinga (PSC) solicitaram cópias para que possam apresentar emendas e apreciar na próxima reunião. Na reunião da CCJ ainda foram votados projetos de lei e requerimentos.

 

 

Jornal O Norte

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

2020: Ana Cláudia diz que CG precisa ouvir povo para formular projeto coletivo

A secretária de Articulação Municipal do Governo do Estado, Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos), um dos nomes citados do grupo da oposição para as eleições municipais de 2020, se…

Vereadores de Stª Rita farão curso em Gramado durante o Natal Luz

Mais uma viagem dos vereadores de Santa Rita vem dando o que falar. Desta vez, 11 parlamentares e um servidor irão participar, com diárias concedidas pela Câmara Municipal do V…