Por Wellington Farias

O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino, tem se postado como um bom aliado do governador João Azevêdo. Embora seja integrante do agora G10, tem operado para evitar que incendeiem as relações do Poder Executivo com o Legislativo.

Não há dúvida de que naquele arquivamento do pedido de impeachment do governador paraibano, além do parecer da Procuradoria da Assembleia, tem também a vontade e o dedo de Adriano Galdino.

Sabe-se, evidentemente, que a peça jurídica que reivindicava a perda do mandato do governador foi, sem dúvida, uma das coisas mais esdrúxulas que já percorreram os anais da Casa de Epitácio Pessoa; algo do tipo sem pé nem cabeça. Mas, convenhamos, impeachment é um processo político e, portanto, dependendo da vontade da tropa, tramita, vota-se e derruba qualquer governo.

Cadê?
Alguém sabe por onde anda o tal Daniel Gomes, da Cruz Vermelha, aquele que gravou horas e horas de conversas reservadas com o então governador Ricardo Coutinho?

Está preso? Está solto? Ou estaria sob a custódia de um Programa de Proteção às testemunhas?

Assim não dá
Quem primeiro chiou com a declaração do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, de que o seu partido (PV) não abre mão da cabeça de chapa em qualquer composição para disputar as eleições de 2020, foi o tucanato.

O deputado federal Pedro Cunha Lima, presidente estadual do PSDB, afirmou categoricamente que essa imposição do prefeito distancia o seu partido do processo de entendimento.

Cuidado!
Com cabeça de chapa, ou não, o prefeito Luciano Cartaxo precisa muito é ter cuidado com os entendimentos com o PSDB. Na última vez, na eleição para governador, caiu na onda tucana e afogou completamente as suas pretensões.

Na fauna política, tucano é cobra criada. Gulosa e venenosa…

Quem é pior
Danado é saber quem tem os piores candidatos, do ponto de vista de densidade eleitoral, para disputar a sucessão municipal em João Pessoa: se o PSDB ou o PV.

Mas não se surpreendam se Cartaxo terminar indicado um nome totalmente fora das atuais cogitações…

Que base?
O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino, tem orientado correligionários na eminência de mudar de partido, a ingressarem nas legendas da base aliada do Governo João Azevêdo.

O problema é saber quem, de fato, é da base aliada do governo. Não no sentido de se declarar tal, mas no se vestir a camisa…

Queimando a língua
É absolutamente inaceitável – e machista – que usem a primeira-dama para atacar a imagem do presidente Jair Messias Bolsonaro. Ainda mais com notícias veiculadas até em revistas nacionais, expondo a família.

O episódio também serve para lembrar a deselegância de Bolsonaro com a esposa de Macron.

Só que a rebordosa foi muito pior…

Luto
Nós, serrarienses, estamos de luto: faleceu na manhã dessa segunda-feira (2), em Serraria, o empresário e fazendeiro Otalício Amaro da Silva. Otalício também foi, durante meia década, fotógrafo oficial da cidade e proprietário de um bar que marcou época.

Ele era casado com Fátima Pinheiro, deixou filha e netos.

 

Wellington Farias
PB Agora

Por Wellington Farias

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Folha desmente Nilvan e diz que candidato falsificou reportagem para se colocar como favorito no 2º turno

Na tarde deste sábado, o jornal Folha de São Paulo desmentiu o candidato a prefeito em João Pessoa, Nilvan Ferreira (MDB), e o acusou de distorcer reportagem onde a Folha…

Rede Sustentabilidade nega que esteja apoiando Nilvan Ferreira no 2º turno

Nesta sexta-feira (27), o partido Rede Sustentabilidade divulgou nota negando que esteja dando apoio à candidatura de Nilvan Ferreira, do MDB, no 2º Turno em João Pessoa. A sigla disse…