Por pbagora.com.br
 
 

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) concedeu entrevista na tarde desta segunda-feira (11) à rádio Arapuan FM e tratou sobre diversos assuntos, entre conjectura política, auxílio emergencial, recursos destinados através do seu mandato para a Paraíba, além de outras questões relevantes para o estado como um todo.

Com relação à conjectura política, sobretudo no que diz respeito às eleições de 2022, Aguinaldo disse que ao seu ver, essa antecipação do discurso sobre o tema acaba que prejudicando um pouco o trabalho das gestões, seja estadual e municipal, assim como a atividade parlamentar, já que mal acaba uma eleição, o debate já começa a se formar em torno de outra.

“Eu acho que o que atrapalha um pouco a gente é o fato de que no Brasil a gente vive em eleição. Então eu acho que esse é um ano de trabalho. Temos que demonstrar trabalho e convergir para o trabalho e aí o resto é consequência. Antecipar eleição é ruim. Aliás, a gente não saiu de eleição, não conseguimos entrar em agenda. Eu acho que temos que focar é no trabalho e é isso que temos que fazer”, pontuou.

Apesar do posicionamento enfático com relação à antecipação do debate em torno de 2022, Aguinaldo também apontou que pelo resultado alcançado no ano passado e com base no fortalecimento da sigla ao longo desses anos, certamente o Progressistas estará na disputa na chapa majoritária na Paraíba.

“O processo de definição de candidatura não é da pessoa, é uma conjuntura, mas certamente o Progressistas deverá estar na majoritária” disse.

 

Assessoria

 
 
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise – Prefeito de Pombal agiu exemplarmente. Errados estão os que negam a ciência e a vacina

Nos últimos dois dias, a hipocrisia pautou uma discussão idiota estimulada por uma onda odienta contra o prefeito da maravilhosa cidade de Pombal, Abmael de Sousa Lacerda, o Doutor Verissinho…

Leis da ALPB asseguram direitos a paraibanos em prestação de serviços

Quem ficou sem renda, durante a pandemia, sentiu na pele a angústia de ver os boletos chegarem e não ter como arcar com os pagamentos. Já imaginou o desespero de…