A coordenação de campanha da coligação A Força do Trabalho divulgou, no início da tarde desta quarta-feira (3), a agenda do candidato do PSB ao Governo do Estado, João Azevêdo, para domingo (7), dia da eleição. 

De acordo com a agenda, logo cedo pela manhã, João participa de uma missa na companhia do governador Ricardo Coutinho (PSB), às 7h, na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no bairro de Miramar.

Após a celebração religiosa, João se dirige ao Colégio Primeiro Mundo, que fica localizado à Rua Franca Filho, no bairro de Manaíra, em João Pessoa, para votar às 9h40.
De Manaíra, o candidato do PSB acompanha o governador Ricardo Coutinho até o seu local de votação, na Fundação Casa de José Américo, no bairro do Cabo Branco.

Depois disso, João percorre vários bairros de João Pessoa e de cidades vizinhas, e encerra as atividades do dia da eleição às 16h40, na rua do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), em Jaguaribe, onde se encontra com Ricardo e a Militância Girassol.

Agenda de João para domingo (07/10)

07h00 – Participa de missa ao lado do governador Ricardo Coutinho na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima
Local: Rua Nevinha Cavalcante – Miramar, João Pessoa

09h40 – Vota no Colégio Primeiro Mundo
Endereço: Rua Franca Filho, 409, Manaíra.  Zona 076 – Seção: 0173

10h00 – Acompanha votação do governador Ricardo 
Local: Fundação Casa de José Américo – Cabo Branco

11h00 – Percorre bairros de João Pessoa e de cidades vizinhas

16h40 – Encontro com o governador Ricardo Coutinho e a Militância Girassol
Local: IFPB – Avenida Primeiro de Maio, 720, Jaguaribe

 

Redação com Assessoria

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Julian Lemos e Carlos Bolsonaro voltam a se agredir nas redes sociais

Em mais um dia de agressões mútuas o deputado federal paraibano e presidente estadual do PSL Julian Lemos, voltou a rebater declarações supostamente ácidas do vereador do Rio de Janeiro…

Opinião: Bolsonaro resgata o clima de hostilidade à imprensa, vivido na ditadura

Bolsonaro sempre se apresentou como uma proposta verdadeiramente perigosa e ameaçadora à jovem democracia brasileira. Um grosso, truculento; daqueles que lembram os patéticos arroubos de ignorância do general Newton Cruz…