Numa Paraíba de minguadas projeções econômicas, o mercado publicitário se mexe ansioso na expectativa de fatiar a tão sonhada verba de comunicação do governo do Estado.

O prazo para apresentação de propostas para a renhida licitação se estende até o dia 13, o que tem deixado sem dormir muito gente do ramo. Serão R$ 16 milhões para se gastar em um ano, e garantir a sobrevivência e a prosperidade de quem lida com comunicação na Paraíba.

Os recursos são lícitos e, do ponto de vista administrativo, necessários para qualquer governo. Aliás, em se tratando em gasto com publicidade, são poucos os governantes na Paraíba que podem se dar ao luxo de dizer que gastaram pouco com comunicação.

E ao que parece em rápidas conversas com o mercado a secretária de Comunicação, Lena Guimarães, tem adotado uma postura ética e justa, assegurando a todos o direito de compartilhar os oito lotes em licitação.

Aliás, uma postura tão equilibrada que tem provocado reações naqueles que acham que publicidade se contrata por cor partidária e não por qualidade técnica.
De qualquer forma, é preciso estar atento para que o processo não seja confundido com uma zona franca, onde tudo vale e a moralidade não existe. É preciso que o próprio governo esteja atento a figuras que vejam no processo de destinação da volumosa verba publicitária do governo uma forma de cometer os mais condenáveis atos de improbidade.

O governo precisa ser divulgado. Até por obrigações constitucionais de transparência e de resposta à população. Mas ninguém pode mirar esse processo como se fosse um caminho para o pecado.

 

Maranhão pessoal


Por falar em comunicação, causou estranheza em alguns operadores do Direito propagando que o governador José Maranhão fez publicar nos principais jornais da Paraíba em homenagem aos 424 anos de João Pessoa.

A peça traz mensagem e até uma foto do governador. Algo muito distante do que diz o princípio da impessoalidade no serviço público.

 

Ricardo Forrest Barbosa

A superação pela fé. É como o suplente de deputado Ricardo Barbosa, que se jogou num maratona a pé de João Pessoa a Cajazeiras, classificou seu retorno a caminhada após recomendações médicas para suspender a promessa.

Com pés e pernas inchadas, Ricardo Barbosa já está próximo a Pombal. E merece, no mínimo, o respeito pela perseverança.

 

Conexão Master

Repercussão acima do esperado o programa Conexão Master, na TV Master, que estreou na segunda-feira. O time composto por Tião Lucena, Gilvan Freire e Lúcio Flávio joga afinado, como seleção de Copa do Mundo.

 

Mea culpa

Compromissos profissionais me tiraram um pouco da redação diária da coluna. Peço desculpas a quem de direito e reitero a missão de retomar as discussões regularmente.
 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Helena vai entrar com ação contra idosas que querem proibir deficientes na praia

Visando garantia o direito de ir e vir de todos os brasileiros, a vereadora de João Pessoa, Helena Holanda, vai entrar com uma ação no Ministério Público Estadual (MPPB) contra…

Tibério sobre crise no PSB: “Sou da ala que entende que, com os espíritos desarmados, contornamos essa situação”

Ao ser indagado sobre a crise existente entre a ala do governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB) e do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), o vereador pessoense Tibério Limeira – que…