Por pbagora.com.br

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, disse hoje que não trabalha com um “plano B” na disputa interna que trava com o governador paulista José Serra pela indicação do presidenciável do PSDB em 2010. Ao anunciar na terça-feira, em Ouro Preto (MG), sua despedida do comando da tradicional solenidade de 21 de Abril, Aécio confirmou que até o início de abril do ano que vem irá se desincompatibilizar do cargo para ser candidato. Porém, ainda não admite a hipótese de disputar uma cadeira no Senado caso não consiga sair candidato à Presidência. O tucano mineiro também já descartou, reiteradamente, a possibilidade de ser vice numa eventual chapa “puro-sangue”, encabeçada por Serra.

 

“Não se trabalha na vida com plano B, se trabalha só com plano A”, afirmou Aécio, ao ser questionado se o Senado era uma alternativa ao projeto da corrida presidencial. Afinados, interlocutores próximos de Aécio também não admitem nenhuma possibilidade de o governador optar pela candidatura ao Senado. A avaliação é que essa hipótese assumida publicamente poderia enfraquecer a determinação do governador e do PSDB mineiro pela realização de prévias para a escolha do presidenciável tucano.

 

O governador disse que a confirmação de que irá se desincompatibilizar – como determina a legislação eleitoral – é “algo claro”, pois não pretende encerrar sua carreira política. “A possibilidade de eu não sair do governo é no caso de eu encerrar a minha atividade política, porque aí eu não poderia disputar qualquer cargo”, destacou. “A não ser que eu não dispute qualquer cargo eletivo, em 21 de abril do próximo ano eu não sou governador de Minas Gerais”.

Estadão

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise – Prefeito de Pombal agiu exemplarmente. Errados estão os que negam a ciência e a vacina

Nos últimos dois dias, a hipocrisia pautou uma discussão idiota estimulada por uma onda odienta contra o prefeito da maravilhosa cidade de Pombal, Abmael de Sousa Lacerda, o Doutor Verissinho…

Opinião: a maldade das fake news implantadas por Bolsonaro, a vacina e a luta pela vida de Maranhão

“O senador José Maranhão (MDB) faleceu”. Essa “fantasia” maléfica hoje chamada de fake news é um exemplo clássico das notícias falsas, em bom português. E a do emedebista causou dor…