Por pbagora.com.br

 O advogado do SINFUMC (Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Cajazeiras), João de Deus Quirino Filho explicou que solicitou a juíza da 4ª Vara, na semana passada, o bloqueio das contas da prefeitura, referente a cota extra da repatriação dos municípios, que chegaram aos cofres do poder público quase R$ 2 milhões.

 

O bloqueio foi solicitado para pagamento dos meses atrasados deixados pela gestão do ex-prefeito Carlos Antonio (DEM), em 2008, mas não foi possível, pois, segundo o advogado, a juíza titular Maria Silze da Nóbrega está afastada e o substituto não analisou o pedido.

 

João de Deus Filho explicou que o término do prazo dado pela Justiça para a prefeitura se expira nessa sexta-feira (21), porém, a juíza, que volta as atividades nessa quinta-feira (20), deverá analisar o pleito e entender que pode garantir esse pagamento, bloqueando os recursos extras.

 

Ele informou que no caso do não pagamento por parte da prefeitura, o ‘caminho’ é sim o bloqueio das contas da prefeitura. “Estamos vigilantes para fazer valer o direito dos servidores que trabalharam e não receberam”.

 

Redação com Diário do Sertão

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Candidato que utilizar disparo de propaganda pelo WhatsApp pode ser multado e até preso

Você eleitor que tem celular e vem recebendo disparos de propaganda eleitoral via WhatsApp, pode denunciar o candidato pelo aplicativo Pardal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar de banidos pelo…

Partidos e candidatos têm até domingo para realizar prestação de contas parcial

De quarta-feira (21) até 25 de outubro de 2020, os partidos políticos e os candidatos devem enviar à Justiça Eleitoral a prestação de contas parcial, dela constando todos os recursos…