Questionada pela imprensa sobre o temor de uma eventual compra de votos por parte dos seus adversários políticos na cidade de Bayeux, a pré-candidata a prefeita de Bayeux, Nadja Palitot (Avante), disse temer que o poder judiciário não consiga coibir esse abuso.

“A fiscalização tende a ser ineficaz, porque o TRE não dispõe de um contingente humano capaz de fazer essa fiscalização nos 223 municípios. Temos de fazer uma vigília no dia da eleição, para que ações criminosas de compra de votos não sejam efetivadas. Vai ser um ataque muito grande naquela cidade (Bayeux)”, comentou Nadja.
Recentemente a pré-candidata revelou os motivos que a levou a deixar o MDB do senador José Maranhão, para ingressar no Avante do deputado estadual, deputado Genival Matias, a advogada Nadja Palitot, revelou que o motivo foi sua intenção na disputa pela prefeitura municipal de Bayeux.

“Eu tinha um compromisso com o senador Maranhão para ser pré-candidata pelo partido. Mas Expedito Pereira [possível candidato do MDB] está lá e não achei interessante começar com uma celeuma dentro do partido, uma disputa”, disse Nadja, ao destacar que já recebeu a garantia de Genival Matias de que será o nome do Avante na disputa. “Já entrei com o garantia [do presidente, Genival Matias] de que seria candidata”, comentou. Ela, inclusive, assumiu a presidência do diretório do partido em Bayeux.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Aguinaldo Ribeiro destaca a importância da democracia: “Não se faz com robô, nem se constrói de forma artificial”

“Democracia se faz com o povo!” A frase, do deputado federal e líder da maioria na Câmara, Aguinaldo Ribeiro, do Progressistas, reforça a importância, sobretudo no momento atual, do regime…

Ex-prefeito de Cubati José Medeiros Dantas morre vítima da Covid-19

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) lamentou, nesta sexta-feira (29), a morte do ex-prefeito de Cubati, José Medeiros Dantas, aos 89 anos, conhecido popularmente como Zezinho Preá.…