"A Casa está fazendo o seu dever e eu fico feliz porque realmente não está sendo fácil”. A declaração é do presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Gervásio Maia, do PSB, ao rebater críticas sobre a produção legislativa em período eleitoral.

Faltando pouco menos de 20 dias para as eleições, Maia destacou que as votações estão sendo realizadas em dia de esforço concentrado, às terças-feira, quando há votações pendentes e que o parlamentar que se ausenta nesse dia de esforço concentrado, sem justificativa, está sendo punido com o corte de ponto. Já nos demais dias a falta é abonada.

Maia esclareceu ainda que a preço de hoje, a Casa não tem matéria pendente e que vale ressaltar que está bem melhor do que qualquer outro momento.

"Agora, a única coisa que eu não vou permitir é que alguma matéria deixe de ser votada prejudicando qualquer interesse do Estado, mas está tudo em dia”, atestou.

Sobre a campanha eleitoral, o presidente fez uma breve avaliação. “É uma campanha muito diferente, muito curta, não está dando tempo para absolutamente nada. As privações impostas são muito complicadas de se administrarem. Por exemplo: não se pode usar o carro de som para comício e isso representa muito para um município do interior”, avaliou.

Ele cutucou a postura do Congresso Nacional quando fez essas modificações na legislação eleitoral.

 

Redação


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Hervázio ratifica amizade por Cícero Lucena e minimiza rompimento político

Em longa entrevista concedida a uma emissora do Brejo paraibano essa semana, o deputado estadual licenciado Hervázio Bezerra (PSB) enalteceu, entre outras coisas, sua amizade com o ex-senador Cícero Lucena…

Cautelares impõem que Renan não poderá voltar à CMCG nem sair da cidade

A decisão de ontem (19) do juiz Vinícius Costa Vidor, da Justiça Federal na Paraíba (JFPB), impôs medidas cautelares ao vereador Renan Maracajá e o parlamentar não poderá exercer poderes…