Eis uma ideia bastante popular, particularmente entre a direita e alguns liberais: se um indivíduo é bem-sucedido no mundo empresarial, então ele possui o conhecimento necessário para tomar decisões sábias e sensatas em termos de política econômica, sendo, portanto, uma ótima escolha para a presidência da república. Para o cientista político e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Lúcio Flávio, o Brasil em geral, e a Paraíba em particular, precisa alcançar muito em termos de modernização e impessoalidade na política.

 

Segundo ele, na Paraíba, grupos familiares e sua clientela ainda dominam na grande maioria dos municípios. “Acredito que temos muito ainda para avançar. No próximo ano, quando teremos eleições para prefeito e vereadores, ainda prevalecerá a forma tradicional de fazer política: o clientelismo, a força das máquinas públicas e a cooptação de lideranças de bairros mediante o oferecimento de empregos. Sem falar na compra de votos! Creio que, apesar do desejo da maioria da população por mudanças, a política neocoronelística será a prática predominante”, disse o Lúcio Flávio ao analisar o processo político atual na Paraíba.

 

 

Redação

 

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
3
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Não vamos desistir”, diz Wilson Filho sobre tolerância em estacionamentos

O deputado estadual Wilson Filho (PTB), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor, lamentou a falta de interesse dos shoppings em construírem um consenso junto à Frente e aos…

Galdino sepulta crise no PSB e diz que foco agora é a governabilidade

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino (PSB) colocou uma pedra na crise que ainda assola o PSB e avisou, durante entrevista nesta quarta-feira (18), que o assunto…