O deputado estadual João Bosco Carneiro Júnior, do PPS, foi condenado, duplamente, por ato de improbidade administrativa à época em que exercia o cargo de prefeito do município de Alagoa Grande, no Brejo paraibano e, além de multas e proibição de contratar com o poder público por cinco anos, também terá que ficar três anos com os direitos políticos suspensos.

Nas duas ações civis por Improbidade administrativa (0001751-47.2014.815.0031 e 0000521-96.2016.815.0031) contra o hoje parlamentar foi ajuizada pelo Ministério Público da Paraíba em atendimento a denúncia formulada pelo atual Procurador Geral do município de Alagoa Grande.

João era investigado pela prática de prevaricação e ato de improbidade administrativa causador de dano ao erário por ter atuado com desídia e desinteresse processual na condução de execução fiscal promovida contra o espólio de seu falecido genitor, o que redundou na extinção do feito sem resolução do mérito, provocando prejuízos aos cofres públicos.

Nas duas ações as acusações foram julgadas como procedentes.

CONFIRA

""

""PB Agora

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPF pede quebra de sigilo bancário de ex-prefeito no âmbito da Operação Andaime

No âmbito da Operação Andaime, deflagrada em 2015, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-prefeito de Santa Cruz (PB), Raimundo Antunes. De…

João realiza visitas técnicas e anuncia investimentos em Alhandra

O governador João Azevêdo realizou, neste sábado (19), visitas técnicas às obras de construção de uma unidade escolar e do Centro de Distribuição do Magazine Luiza, no município de Alhandra.…