Por pbagora.com.br

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adiou ontem (18) o julgamento do recurso que pede a inelegibilidade do ex-governador Ricardo Coutinho. Durante a sessão, o ministro Og Fernandes pediu o adiamento da pauta por causa do horário.

O presidente do TSE, ministro Roberto Barroso, porém, não adiantou quando a ação será julgada. Barroso chegou a citar que um ministro pediu vistas, mas não disse qual foi o magistrado.

O processo acusa Ricardo de conduta vedada e abuso de poder político durante o pleito e foi movido pela Coligação A Vontade do Povo, encabeçada pelo então senador e candidato a governador pelo PSDB, Cássio Cunha Lima.

A defesa de Ricardo requereu à corte que anulasse a multa de R$ 30 mil imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB). O advogado Harrison Targino, que representa a acusação, aponta que Ricardo cometeu abuso de poder ao exonerar servidores no ano eleitoral para contratar outras pessoas. “É notório o momento difícil que passa Ricardo, mas isso não está no processo. O TSE não aceita julgar algo que não está nos autos. A defesa acredita que Ricardo Coutinho provará sua inocência”, comentou Targino.

Já o advogado de Ricardo, Fernando Neves, disse que era necessária a contratação de servidores à época para atender a necessidade da saúde pública.

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Dupla é presa ao tentar arremessar drogas para dentro de presídio, em CG

A polícia prendeu dois homens, um de 19 e outro de 45 anos, em flagrante na madrugada deste sábado (26). A dupla é suspeita de tentar jogar drogas dentro do…

Casal é preso pela PRF transportando 12kg de maconha e 4kg de cocaína, na PB

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu, na tarde desta sexta-feira (25), um casal transportando 12 kg de maconha e 4kg de cocaína. A droga estava escondida em diversos compartimentos na…