A Paraíba o tempo todo  |
PUBLICIDADE

Sangue na camisa de jovem era do professor assassinado, em CG

Caso Valderi: sangue em camisa de adolescente era do profesor assassinado em pousada

O Instituto de Polícia Científica (IPC) concluiu e divulgou ontem o resultado do exames de DNA feito em uma camisa encontrada na casa de um dos adolescentes apontado como participante do assassinato do professor Valderi Carneiros dos Santos, de 44 anos, ocorrido no último dia 09 de julho, em uma pousada no Centro de Campina Grande.

De acordo com os relatórios encaminhados pelos peritos à Delegacia Especializada em Homicídios, o sangue encontrado no peça de roupa era mesmo da vítima, e agora, essa confirmação só vai reforçar o resultado da investigação liderada pela delegada Cassandra Maria Duarte. “Eu, pessoalmente, não tinha dúvida alguma disso, no entanto, agora, com a confirmação legal do exame de DNA o inquérito ganha ainda mais força. Acredito que essa prova pesará e muito no resultado do julgamento que é uma responsabilidade da justiça campinense” comentou a autoridade policial.

O professor Valderi Carneiro Santos, era homossexual assumido e foi encontrado morto com vários cortes e uma marca de estrangulamento. Ele teria acertado um programa sexual com os dois menores que antes de irem para pousada, ainda passaram boa parte da noite bebendo com a vítima em um bar, localizado nas proximidades do Parque Evaldo Cruz (Açude Novo).

Em um determinado momento, já no quarto, houve um desentendimento entre os rapazes e o professor por causa da preferência sexual de ambos e a partir daí, houve a luta corporal e acabou na morte do profissional que trabalhava em várias escolas da rede pública e privada de Campina Grande e Lagoa Seca. Ainda segundo o depoimento dos menores, o programa teria sido acertado por R$ 200 (sendo R$ 100 para cada), acordo este que teria sido descumprido pela vítima.

O inquérito foi concluído pela Polícia Civil em menos de 20 dias. Imediatamente, a delegada solicitou a apreenssão dos jovens, que um dia depois, se entregaram à justiça. Desde o último dia 21 de agosto, os acusados estão recolhidos no abrigo provisório de Campina Grande.
 

 

PB Agora

com DB

 

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe