Por pbagora.com.br

 A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba já está de posse de um relatório que identifica 30 pontos de exploração sexual de crianças e adolescentes, na Região Metropolitana de João Pessoa. O trabalho investigativo para coibir esse crime reúne a atuação de várias frentes, segundo afirma o procurador do trabalho Eduardo Varandas, da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente.

“Esse é o modelo para se fazer o combate, com a união dos esforços de instituições como a Polícia Civil e o Ministério Público Estadual para formar um sistema de investigação organizado e eficiente”, opina o procurador do trabalho. Ele se reuniu, na semana passada, com o secretário-executivo de Segurança Pública e Defesa Social da Paraíba, Jean Bezerra, quando entregou um relatório sigiloso que identifica as áreas onde ocorrem os crimes contra os jovens, que em sua maioria são oriundos de camadas pobres da sociedade.

Ele afirma que os locais não serão divulgados até a conclusão das investigações. Paralelo a isso, informou o procurador, o Ministério Público do Trabalho (MPT) vem atuando em hotéis, pousadas e motéis para combater esse tipo de crime. Entre 2009 e 2010, foi celebrado um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com os donos dos estabelecimentos com tal objetivo. Eles são obrigados a exigir a documentação de todos os clientes e hóspedes, de forma a identificar se são menores de 18 anos.

Redação

Notícias relacionadas

Polícia desfaz aglomeração promovida por jovens na orla de João Pessoa

A Polícia Militar desfez uma aglomeração que foi provocada por aproximadamente 30 jovens, no fim da noite desse sábado (17), na calçadinha da praia de Tambaú, em João Pessoa. Juntos,…

Polícia apreende arsenal e prende dois suspeitos em cidade do Sertão paraibano

A Polícia Militar apreendeu oito armas de fogo e prendeu dois suspeitos nesse domingo (18), em uma ação realizada na cidade de Imaculada, no Sertão da Paraíba. De acordo com…